Arquivo
  Especiais
  + Futebol
  PERFIL                            Campeões Gaúchos                       + Artigos
Esporte Clube Cruzeiro: o retorno de um pioneiro do futebol gaúcho
Fundado em 1913 e campeão gaúcho na temporada de 1929, o Esporte Clube Cruzeiro, de Porto Alegre, está de volta. Em 2010, após realizar grande campanha na série B estadual, o Leão da Montanha garantiu seu retorno à primeira divisão do campeonato gaúcho. O tradicional clube da capital do Rio Grande do Sul estava ausente do principal certame regional há 32 anos. A fiel torcida estrelada, sempre unida no ardor e na fé, não consegue esconder a euforia e o orgulho por este momento mágico vivido pelo glorioso Cruzeiro. O Cruzeiro tem muita história no futebol gaúcho. Aqui, você pode conferir um pouco mais dessa bela entidade esportiva gaúcha, clube que é recheado de pioneirismo, paixão e títulos.
 
Publicado em 06 de julho de 2010            Por Luciano Patussi *
 


Disponível para debate em: www.futebolartegarra.blogspot.com
Enquanto Alex Goiano, jogador do Cruzeiro, marcava em cobrança de falta o terceiro gol do time de Porto Alegre na partida contra o Lajeadense, somente uma certeza tomava conta do pensamento da torcida cruzeirista: faltariam aproximadamente 10 minutos para o apito que decretaria o final da partida. Mais do que isso, a vitória por 3x0 sobre o Lajeadense, em Lajeado, daria mais um título para a galeria histórica do Cruzeiro. Acabaria um longo jejum.

O apito final, enfim, soou. A falta de títulos já faz parte do passado. A vitória deu ao time do Cruzeiro o título de campeão gaúcho da série B em 2010. Foi uma conquista que coroou a devolução, à primeira divisão gaúcha, de um dos clubes mais tradicionais do Rio Grande do Sul.

Mais do que destacar a campanha realizada em 2010, os jogadores campeões ou a vencedora comissão técnica, a ideia desta matéria é levar ao conhecimento dos leitores um breve resumo da história do Cruzeiro.
 
Cruzeiro de Porto Alegre
Fundado no dia 14 de julho de 1913, o Esporte Clube Cruzeiro é, em vários aspectos, um dos pioneiros do futebol gaúcho. Foi a primeira entidade esportiva gaúcha a implantar no clube o quadro de categorias de base, visando a formação de jovens atletas.

No futebol, o clube conquistou o campeonato citadino de Porto Alegre por três vezes: 1918,1921 e 1929. Ao conquistar o tricampeonato citadino, o clube obteve o direito de jogar a decisão estadual, troféu que durante muitos anos era disputado entre o campeão da capital e os campeões de diferentes regiões do interior do Rio Grande do Sul.

Desta forma, o Cruzeiro enfrentou, na disputa pelo título gaúcho: Juventude de Caxias do Sul, Guarany de Bagé, Riograndense de Santa Maria e Ferro Carril de Uruguaiana. Em 15 de outubro de 1929, no extinto estádio da Chácara das Camélias, em Porto Alegre, o Cruzeiro venceu o Guarany de Bagé. O placar de 1x0 deu ao Esporte Clube Cruzeiro o título de campeão gaúcho de futebol em 1929.
 
O elenco do Cruzeiro, campeão gaúcho em 1929, contava com a seguinte base de formação: Chico; Espir e Hugo; Totte, Emílio e Salatino; Ferreira, Torres, Nestor, Germano e Campão.

Com o crescimento da paixão do seu torcedor, um dos fatos mais marcantes da história cruzeirista foi a construção do estádio da Montanha, o maior da cidade de Porto Alegre até então. A inauguração foi em um amistoso contra o São Paulo. Isso aconteceu em 1941. O Cruzeiro derrotou o time paulista por 1x0, sob os olhos de mais de 20.000 torcedores presentes. O primeiro gol do estádio foi marcado por Gervásio.

Outra curiosidade interessante é que o Cruzeiro de Porto Alegre já esteve presente em uma Copa do Mundo. Não o time, mas a camisa estrelada. No confronto contra a Suíça, válido pela Copa do Mundo de 1950, o México entrou no gramado do estádio dos Eucaliptos fardado com a camisa cruzeirista. Fatos possíveis na época.

O crescimento do clube era visível. Além de ter um time forte, o Cruzeiro tinha a fama de sempre bater de frente e crescer nos confrontos contra Internacional e Grêmio. Contra o Inter, jogava o clássico Inter-Cruz. Contra o Grêmio, o Gre-Cruz. Sempre foram jogos equilibrados. Várias vezes, o Cruzeiro saiu vencedor.

Merece ainda destaque especial uma excursão, realizada na Europa, entre o final de 1953 e o início de 1954. Foi a primeira excursão realizada, pela Europa, por um clube do Rio Grande do Sul. Na ocasião, foram travados grandes embates contra fortes times da época.

Destaques para o empate em 0x0 contra o Real em Madrid e para os empates também em 0x0 contra o Torino e a Lazio, em Turim e Roma, respectivamente. Para finalizar a excursão, o Cruzeiro retornou à Espanha para, em Barcelona, derrotar o Espanyol duas vezes: por 4x2 e 2x0.

O saldo desta excursão foi de 15 jogos, com 7 vitórias, 4 empates e apenas 4 derrotas. Foram visitados os seguintes países: Espanha, França, Suíça, Itália, Turquia e Israel. O Cruzeiro deixou saudade no velho continente. Tanto que foi convidado para retornar.
 
Em 1960, o Cruzeiro marcou época na Europa novamente. Enfrentou equipes como Sevilla, Dínamo de Zagreb, além das seleções da Tchecoslováquia e da Bulgária, entre outros times. Desta vez, em 24 partidas, o Cruzeiro alcançou 11 vitórias, perdendo 7 jogos e empatando 6 vezes.

Durante esta excursão, o Cruzeiro conquistou o Torneio de Páscoa de Berlim, o primeiro título intercontinental de um clube gaúcho. Seguindo a trilha da realização de grandes jogos internacionais, o Cruzeiro jogou em 1961 o Torneio de Páscoa em Mar del Plata, na Argentina. Foi campeão.

Ao final da década de 1960, entretanto, o clube viveu uma fase complicada. Tudo culminou com a venda do estádio da Montanha. A última partida no local foi emocionante. O Cruzeiro venceu o Liverpool de Montevidéu por 3x2, no dia 8 de novembro de 1970. Vários torcedores deixaram o estádio derramando lágrimas. Era a última partida jogada no estádio da Montanha. Ainda em 1970, o Cruzeiro foi o campeão da primeira Copa Governador do Estado.

O novo estádio do Cruzeiro foi inaugurado em 1977. O estádio Estrelão, batizado assim em homenagem ao clube estrelado, foi sede da última grande aparição do time cruzeirista em nível estadual. Isso ocorreu quando o Cruzeiro participou da fase final do campeonato gaúcho de 1977. Classificou-se entre as dez equipes melhores colocadas do certame.

Em 1979, o Cruzeiro desativou seu departamento de futebol profissional, voltando a ativá-lo apenas em 1991. Foram tempos difíceis para os apaixonados cruzeiristas.

Além disso tudo, vale lembrar que o Cruzeiro é celeiro de craques. Teve jogadores com passagem no Cruzeiro que, inclusive, já vestiram a camisa da “seleção canarinho” do Brasil. Aníbal Candiota, Moderato Winsteiner (primeiro gaúcho a jogar uma Copa do Mundo em 1930), Picasso, Valdir de Morais, Aírton Ferreira da Silva, Ortunho e Batista são alguns exemplos, entre outros.

Outros grandes jogadores também já vestiram a camisa estrelada, tais como Mário Andrade, Jorge Andrade, Hermes, Pio, Vieira, Jarbas, Daison Pontes, João Pontes, Paraguaio, Chico Spina, Vergara, Paulo Santos, Pinga, Michel Bastos, Diguinho, Rafael Sóbis, entre tantos outros.

O Cruzeiro é o único clube gaúcho que já obteve os títulos de campeão estadual de futebol, futsal, vôlei e basquete. No ano de 2008, a equipe estrelada foi vice-campeã estadual da categoria júnior. Foi apenas um aviso. Uma amostra de que os tempos estavam mudando. Unidos no ardor e na fé, o torcedor cruzeirista sempre acreditou em uma histórica virada nos rumos do clube.

Em 2010, longe da primeira divisão gaúcha há mais de três décadas, o Cruzeiro venceu o Lajeadense, conquistando o campeonato gaúcho da série B e carimbando o passaporte para voltar a ocupar um lugar de destaque. Destaque no futebol, diga-se de passagem, pois o clube jamais deixou de ter bordado, ao lado esquerdo do peito dos seus apaixonados torcedores, o brilho de cinco estrelas brancas, estampadas em um belo e tradicional escudo azul.

O Esporte Clube Cruzeiro, campeão gaúcho da série B em 2010, mandou ao gramado a seguinte escalação, para conquistar a taça e marcar seu nome na história:

Fábio; Alex, Sandro, Tiago e Patrola; Nunes (depois Cláudio), Almir, Faísca e Alex Goiano; Diego Torres (depois Diego) e Jô; Treinador: Benhur Pereira.

Todos os atletas, comissão técnica, diretoria e torcedores do Esporte Clube Cruzeiro, de Porto Alegre, estão de parabéns por mais esta grande jornada!

Uma grande saudação esportiva à todos os leitores!
Share |
 
* Luciano Bonfoco Patussi é Bacharel em Ciências Contábeis.

Blog Pessoal: www.futebolartegarra.blogspot.com
  PERFIL                            Campeões Gaúchos                       + Artigos
Pesquisa personalizada
Arquivo Campeões do Futebol - www.campeoesdofutebol.com.br - Desenvolvido e mantido por Sidney Barbosa da Silva - Desde 2005
* Permitido a reprodução de todo conteúdo desde que citada a fonte e o Autor/Pesquisador