HISTÓRIA DO FUTEBOL CEARENSE


Federação Cearense de FutebolFEDERAÇÃO CEARENSE DE FUTEBOL
Fundada em 23 de março de 1920
Endereço: Rua Paulino Nogueira, 77 - Benfica
Fortaleza/CE - CEP 60020-270
Site Oficial: www.futebolcearense.com.br


História Liga Metropolitana Ato N° 11/2008 1ª Divisão 2ª Divisão 3ª Divisão Outras Competições Arquivo     + ESTADUAIS

       

Todos os escudos daFederação Cearense de Futebol
Todos os escudos da Federação durante sua história. Fonte: Federação Cearense de Futebol.

A Introdução do Futebol no Ceará

O futebol no estado do Ceará, mais precisamente em Fortaleza, tem duas versões:

A primeira é de que o futebol chegou a navio no final do ano de 1903. Um team de foot-ball advindo da Inglaterra, que pretendia excursionar pelo sul do Brasil, teria introduzido a prática do novo esporte aos fortalezenses, tendo sido jogado por sportsmen no terceiro plano do Passeio Público. Essa versão é sustentada por Frederico Maia em seu livro "A Verdadeira História do Futebol Cearense", escrito em 1955.

Uma outra versão é de que o futebol foi introduzido pelo cearense José Silveira em 1904, que trouxe a primeira bola, e isso permitiu que no dia 24 de dezembro daquele ano ´houvesse a primeira partida de futebol.

José Silveira era um jovem rapaz que ingressava de férias dos seus estudos europeus e trazia nas malas uma bola de futebol n° 5 de couro e o livro de regras.

Nota Campeões do Futebol: em nenhum momento é citado quem seria os ingleses que jogaram em 1903 e de quem estava jogando em 1904, antes de José Silveira organizar o primeiro jogo entre citadinos; provavelmente eram os trabalhadores do Porto de Fortaleza, e/ou marinheiros britânicos oriundos de navios que atracavam na cidade, antes de seguirem viagem.

Alguns livros esportivos citam o futebol no estado do Ceará.

Nirez de Azevedo, em seu livro "História do Campeonato Cearense de Futebol" (Equatorial Produções, 2002. Pág. 15) diz o seguinte:

"Em 1903 o futebol já era uma realidade na Europa. No Brasil o futebol estava apenas engatinhando e em alguns estados ainda nem tinha surgido. Foi nesse ano que ancorou em Fortaleza um navio inglês, com uma delegação de futebolistas da Europa, para uma temporada no sul do País e na Argentina, onde o futebol já estava bastante avançado."

Seguindo o texto, diz:

"Entrou o ano de 1904 e o interesse pelo futebol foi crescendo e se tornando frequente. Por essa época era grande o número de ingleses residindo em Fortaleza, trabalhando em firmas ou companhias britânicas e foi então que surgiu a idéia da realização de um jogo entre cearenses e britânicos.
A idéia foi crescendo e os organizadores foram preparando o jogo até a chegada do Dr. José Silveira, que veio do Rio de Janeiro e trouxe em sua bagagem uma bola de couro, a primeira do Ceará. Foi realizado então um bate-bola no dia 24 de dezembro daquele ano".
Obs: Nirez diz que José Silveira regressava do Rio de Janeiro, e não da Europa, e não menciona férias estudantis.

Já Adalberto Damasceno em seu livro "Futebol Cearense: Um Século de História" (Fortaleza: edição própria, 2002) ratifica a versão de Nirez de Azevedo e diz:

Oficialmente, ou de acordo com os registros, o primeiro jogo de futebol, com respeito às regras, com um árbitro em ação, aconteceu em 1903 aproveitando a passagem de navio inglês por Fortaleza, em direção ao sul brasileiro.
Obs: Alberto Damasceno não faz referência aos jogadores serem atletas que iriam se apresentar no sul do Brasil e na Argentina.

Sobre José Silveira, Damasceno fala:

"O homem da bola
Tínhamos uma quantidade elevada de jovens cearenses que estavam na Europa, e um deles - José Silveira - estudante na Suíça, trouxe em suas férias, uma bola e o livrinho contendo as regras do futebol, em 1904.
O futuro prof. José Silveira, nasceu em Fortaleza, na antiga Rua da Praia, em 29 de setembro de 1882, filho de José Maria Silveira e de Glória Carneiro Silveira, portugueses".

Raimundo Girão, em "Palestina: uma agulha e as saudades" (Fortaleza: Editora UFC, 1972. pp. 122-123) cita:
Na véspera do Natal do ano de 1904, "demonstração mais evidente de técnica de nossos footballers teve o povo da Capital assistindo dali, daquelas arquibancadas, a uma partida entre os de casa e a representação de outro barco aqui aportado".

Esta partida, realizada em 1904, terminou com vitória dos ingleses sobre os fortalezences por 2 a 0.


Logos da Federação Cearense

Federação Cearense de Futebol
anterior ao atual

Federação Cearense de Desportos
Fed. Cearense de Desportos
(Fonte: Rev. Placar 14-01-1972)

Federação Cearense de Desportos
Fed. Cearense de Desportos
(Fonte: Rev. Placar 17-10-1975)

ASS. DESPORTIVA CEARENSE
(Autor do desenho: Sérgio Mello)
Associação Desportiva Cearense
Escudo de 1920 a 1926

(Autor do desenho: Sérgio Mello)
Associação Desportiva Cearense
Escudo do ano de 1939

(Autor do desenho: Sérgio Mello)
Uniforme Associação Desportiva Cearense 1939
Uniforme do ano de 1939
 
A popularização do futebol
Em pouco tempo o futebol foi se popularizando. Em 1906 o novo esporte já era jogado dentro das escolas e, em 1910, já estava nos colégios Liceu e no Castelo. Fora dos colégios era muito praticado pelos moradores nas ruas 24 de Maio e Barão do Rio Branco, na maioria das vezes era utilizada uma bola feita de meia.

Em 1914 foi construído, no bairro Benfica, o Campo do Prado, onde os times organizados da cidade jogavam.

Por volta dos anos de 1914/1915, surgem as primeiras notas de jornais noticiando partidas de futebol. Assim informava o "Diário do Estado", de 08 de maio de 1915 - Ano I, n° 122, sobre o primeiro jogo do ano de 1915:
"Realiza-se amanhã no ground do Jockey Club, o primeiro match do presente anno.
O match será disputado pelas eleven do Rio Negro e do Rio Branco, sendo seus teams assim organizados: Casemiro (keeper), Brazil e Bruno (backs). Ademar, Zazá e Brígido (half-backs). Bauer, Hiro, Mamede (fowards), sendo esse último, captain (do Rio Negro) e Aldo (keeper) Gaveia, Speedy (backs). Célio, Carlito, Gotardo (half-back) e Abreu, Pinto, Meton, Olsen, Ninito (fowards). Sendo o segundo captain (do Rio Branco)
Servirão de lads-men: José Elias e Cid Cabral; de juizes de goal Cicinato Machado e Tibúrcio Brazil.
Attenta para a grande qualidade de convites que foram distribuidos, é de se esperar grande assistência por parte das exma. famílias fortalezenses".

Os primeiros torneios e ligas
A formação da primeira liga de futebol no estado foi encabeçada por Alcides Santos, presidente do então formado Stela. A liga era um movimento associativo implementado pelos próprios clubes em formação, no intuito de aglutinar mais os participantes diante dos seus interesses, mesmo que esses jogadores recebessem na sua associação o Maranguape, um time originado na cidade vizinha à capital. A proposta era expandir entre seus pares o esporte pelo Estado, como consta na nota de fundação publicada no jornal Diário do Estado de 15 de maio de 1915:

"Hontem pelas 13 horas, reuni-se a primeira sessão preparatória para a fundação da Liga Metropolitana Cearense de Foot-ball, tendo comparecido a mesma os representantes das diretorias de todos os clubs do Ceará, combinando-se várias medidas no sentido de ampliar o foot-ball no Estado do Ceará. (...) entre outras medidas, ficou resolvido que fossem uma commissão ao ilustre senhor coronel Casemiro Montenegro, digno prefeito municipal, afim de que o mesmo auxilie os directores da "Liga" na instalação de um campo próprio para o jogo em uma das praças desta capital".

Em 1915 é organizado pela Liga Metropolitana, o primeiro campeonato cearense. Dele participam as equipes Rio Branco, Maranguape, Rio Negro e o Stela. No entanto, esta liga é excludente, pois dela participaram apenas equipes da elite de Fortaleza. A excessão fica por conta do Maranguape, da cidade de mesmo nome, que é um clube da burguesia local.

Os clubes excluídos (dos pobres, trabalhadores e negros) acabaram por formar seu próprio campeonato e liga.

O primeiro campeão do futebol cearense acabou por ser o Ceará Sporing Club (nova denominação do Rio Branco) » ver Ato N° 11/2008.

A Liga Metropolitana não congregava todos os interesses dos futebolistas, haja vista que a proliferação de outros times começava a preocupar os interesses deles (clubes da elite, os ricos). Com o tempo este clubes elitistas passaram a aceitar jogadores de outras freguesias, outros bairros e/ou classes sociais, também surgiam times de trabalhadores ou relacionados à companhia de trabalhadores, como é o caso, em Fortaleza, do Olímpico Foot-ball Club, na sua quase totalidade constituído de funcionários da Rede de Viação Cearense (RVC), fundado em 1919. O Olímpico era organizado pelo engenheiro Henrique Couto Fernandes, diretor da empresa.

Assim, a proliferação de times de subúrbio da cidade começou a preocupar os sportsmen que, muito bem motivados pela popularização do esporte pelo país, seguiram uma tendência que já estava sendo posta: constituir uma federação de esporte que protegesse os interesses dos clubes e promovesse um campeonato local.

A ADC - Fundada em 1920, a Associação Desportiva Cearense, funcionou sem nehum estatuto, apenas mediante os interesses daqueles que comandavam a entidade. Tornando-se impossível ressaltar coerentemente as normas que estão descritas na ata de fundação de 29 de janeiro de 1936, em relação à proposta inicial da década anterior, pois novos valores vão ser incorporados ao novo estatuto, de acordo com interesses políticos e sociais vigorantes no período da sua legalização cartorial.

Ao referir-se à participação dos demais clubes da cidade na ADC, informa o artigo 3° "quando dos subúrbios dessa capital, ou em municípios do interior desse Estado, houver dois ou mais clubes, devem os mesmos, para efeito de filiação, organizar previamente, uma Liga Desportiva. Entretanto, o artigo seguinte informa que esses não poderiam participar do que eles chamavam de Divisão A, apenas de uma divisão B ou C que seria viabilizada de acordo com o pagamento do ingresso na entidade, conforme Artigo 5°:
"Para que uma entidade desportiva possa filiar-se a ADC é necessário: (...) provar haver pago jóia de filiação, na importância de 50$000 quando se tratar de clubes classificados na divisão A, e de 25$000 para incluídos na divisão B e C".

A Profissionalização do futebol
Em 1939 é inaugurado o profissionalismo do futebol cearense. No início da década seguinte, em 1941, a então ADC (Associação Desportiva Cearense) mudaria de nome para FCD (Federação Cearense de Desportos). No ano posterior, seguindo-se recomendação da entidade maior, a CBD (Confederação Brasileira de Desportos), foi feita uma lista dos times associados com seus patrimônios.

Mas segundo Nirez de Azevedo, em seu livro "História do Campeonato Cearense de Futebol, página 62; "Os times eram apenas uma junção de atletas, não existindo uma só equipe possuidora de sede própria, um campo ou uma propriedade qualquer".

As poucas coisas levantadas como patrimônio foram cadeiras, mesas e taças.

O Negro no Futebol

Em 1929 o Fortaleza se desfez para surgir no ano seguinte o Orion, que teve vida curta, voltando a ser posteriormente Fortaleza.

Entre os grandes clubes, o Ferroviário adentro no campeonato organizado pela ADC em 1938.

No jornal "A Gazeta de Notícias" do dia 11 de agosto de 1927, Ano I, N° 1, é citado que "Durante o dia de domingo, e geralmente às tardes, reúnem-se imnúmeros meninos desoccupados e iniciam o seu inacabável foot-ball. (...) A match acompanha commumente os palavrórios dos mal educados jogadores".
"O barulho, as palavras indecentes e o fevor tanto dos praticantes como dos espectadores são concebidos como inconvenientes: assobios, gritos e palavras obscenas (das maiores) somos obrigados a ouvir".

As primeiras equipes
Na década de 10, o futebol se popularizou, amadureceu e seguiu os trilhos impostos no resto do mundo, surgindo então, os primeiros clubes de futebol, seguindo os interesses dos filhos da elite da cidade que praticavam a peleja nas ruas e calçadas do centro da cidade, onde moravam.

Segundo Rodrigo M.S. Pinto (Fortaleza da Pelota: do Foot-ball high-society ao Futebol Proletário 1904-1934". Fortaleza/CE: Monografia de Bacharelado em História - UFC, 2004), "jogava-se bola nas ruas 24 de Maio e Barão do Rio Branco, praticado pelos moradores. Ressaltam-se os jogos ocorridos em praças, como é o caso das partidas disputadas em frente ao gasômetro, no terceiro plano do Passeio Público. Dos aficionados, encomtram-se relatos de que esse período é decadente, devido ao fato de não haver nenhuma formação evidente de clubes".


Sidney barbosa da SilvaPesquisas de Sidney Barbosa da Silva.
Fontes: para escudos e uniforme da Ass. Desportiva Cearense na lateral é desenho do Jornalista Sergio Mello; Federação Cearense de Futebol; demais citadas no texto; e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br.
Página adicionada em 22 de janeiro de 2009 - atualizada em 08/Agosto/2016.

 

 

Pesquisa personalizada

Livros Digitais Campeões do Futebol

Ir ao Topo