Primeiro distintivoPrimeiro Distintivo
O primeiro brasão do Sport nada tinha a ver com o atual. Num dos primeiros estatutos do clube ele era assim definido: "Sobre uma âncora, tendo no braço a data 13/05/1905, apoiada sobre um par de remos cruzando com um mastro contendo flâmulas descendentes e um croquete, um salva-vidas, tendo no centro uma bola de futebol entre um pau de críquete e uma raquete de tênis, cruzados, e encimada pelas letras SCR, entrelaçados em monograma e, no corpo, escrito Sport Club Recife". Logo, o distintivo número um do Sport representava todas as modalidades esportivas praticadas pelo clube na época, desde o críquete até a caça submarina.


Segundo distintivoSegundo Distintivo
Foi criado em 1919, após a disputa do Troféu Leão Norte, em uma excursão a Belém, no Estado do Pará. E foi na quarta partida da excursão de cinco jogos, que surgiu. No dia 03 de abril de 1919, estava em disputa um belíssimo bronze francês denominado Leão do Norte onde figuravam as esculturas de um arqueiro grego acompanhado por um imponente leão. Para a surpresa dos paraenses, o Sport venceu o combinado local, formado pelas equipes do Clube do Remo e Paysandu, ficando com o belo com o troféu. A decepção para eles foi tamanha que um torcedor mais afoito invadiu o navio onde os dirigentes Rubro-Negros guardavam a peça, e danificou sua cauda com um cano de ferro. Este fato inspirou a elaboração de um novo brasão para o Sport.

Então o leão foi adotado como o novo símbolo do clube, pois representava toda sua ousadia, coragem e espírito de vencedor que o marcava desde sua fundação. O responsável pela arte foi o desenhista Armando Vieira dos Santos que se baseou na Heráldica das armas escocesas para a elaboração do escudo.


De acordo com o artigo 7° do estatuto, ele é assim formado: O distintivo oficial do Sport Club do Recife é um escudo, cuja configuração geométrica assim se define: superiormente, dois arcos de círculos, convexos, iguais entre si; os arcos superiores encontram-se, numa das extremidades, no ponto extremo superior do eixo vertical da figura; na outra extremidade, cada um deles se liga à extremidade superior do arco lateral correspondente; os arcos laterais encontram-se, na extremidade inferior, no ponto extremo inferior ao eixo vertical da figura; a corda de cada arco lateral é, praticamente, igual ao dobro da corda de cada arco superior. § único - O fundo do escudo oficial tem sete faixas paralelas, no sentido diagonal ascendente, da esquerda para direita, em cores preta e encarnada, alternadamente, a primeira e a última das quais, em cor preta. Sobre tal fundo, a figura heráldica, em amarelo-ouro, de um leão em pé e de perfil, voltado para o lado direito do escudo, sustentando uma miniatura do desenho deste. Nessa miniatura, também em amarelo-ouro, o desenho do monogramo SCR, em letras entrelaçadas, de cor preta.

distintivo 2008Distintivo 2008
Durante anos pouca coisa foi mudado no escudo, algumas estrelas foram aparecendo com as conquistas nacionais. O atual distintivo, idealizado após a conquista da Copa do Brasil de 2008, foi aprovado pela Presidência Executiva, com a inclusão de uma nova estrela dourada no escudo do clube, representando a conquista da Copa do Brasil 2008, que servirá como referência da marca Sport Club do Recife, em toda e qualquer forma de representação, sendo, a partir de 19 de junho de 2008 providenciados todos os trâmites legais para oficialização do novo escudo do Sport Club do Recife.

A estrela prateada representa a conquista do Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão, em 1990, e a outra estrela dourada, o Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão, conquistado em 1987.




Pesquisas realizadas por Sidney Barbosa da Silva
Fonte: Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br e www.sportrecife.com.br.
Página adicionada em 05 de julho de 2008.

 



Pesquisa personalizada






Ir ao Topo