História do America FC (RJ) de 1951 a 1980


America   America Football Club
   Fundado em 18 de setembro de 1904
   Cidade: Rio de Janeiro/RJ


História 1904-1920 1921-1950 1951-1980 1981-2015 Titulos Hino Copa dos Campeões Arquivo                                                                                   + Clubes

      

1951
Depois de brilhante campanha, 121.765 pessoas testemunharam o América deixar escapar o título referente ao ano anterior, para o Vasco da Gama, em jogo que terminou 1x2. Neste mesmo ano derrotou o Arsenal, por 2x1 e o Pothsmouth, por 3x2, ambos clubes da Inglaterra. Os ingleses, enviam carta em que expressam: "homenagem ao time que pratica o melhor futebol do Brasil".

1952
Em vitória por 1x0 sobre o Flamengo, o América conquistou a Taça Carlos Martins da Rocha, em jogo que durou 148 minutos (90 do tempo normal, mais três prorrogações de 30 minutos). O gol do América foi nos dois minutos finais da terceira prorrogação. Reinaugurado nosso estádio em Campos Sales, com vitória sobre o Vasco por 1x0.

1956
Cento e sessenta mil pessoas assistiram à final da melhor de três entre América e Flamengo no Maracanã. Neste jogo, Tomires, do Flamengo, quebrou a perna de Alarcon (foto na lateral), do América. Na época não eram permitidas substituições e o América, sem seu melhor jogador, sucumbiu por 1x4 para o adversário. Os dois jogos anteriores terminaram em vitória simples para o rubro-negro e 5x1 para o América.

O argentino Alarcon do América RJ
O argentino Alarcon que
teve a perna quebrada
na final do carioca de
1955, disputada em 1956.
Fonte Manchete Esportiva


Nilo do América RJ em 1960
Nilo Alves da Cunha,
o Nilo, ponta-esquerda
campeão carioca de 1960
pelo América, morreu no
dia 20 de dezembro de
2006, em Nilópolis (RJ).
1957
Gyula Mandi, que era técnico da seleção húngara na época de Puskas, foi contratado para treinar o América. Por 92.802 votos, o América foi eleito o clube mais popular da cidade do Rio de Janeiro, contra 52.214 do Flamengo, o segundo colocado, no Concurso Longines.

1959
Temporada internacional na Argentina, Chile, Uruguai e Bolívia, com 12 jogos, 8 vitórias, três derrotas e 1 empate. Excursão à Europa, com o saldo de 13 jogos invictos, sendo 10 vitórias e 3 empates. Contada a invencibilidade nos 13 jogos realizados na Europa, mais os 4 resultados anteriores na América do Sul, valeram ao América o recorde absoluto de 17 partidas invicto em partidas internacionais e o título inédito de "Fita Azul". Canário, foi vendido ao Real Madri por CR$ 7,5 milhões. Morre Alfredo Guilherme Koehler, fundador e sócio número 1 do América.

1960
Despertando de um pesadelo de 25 anos, o América foi Campeão Estadual pela sétima vez, tornando-se o primeiro campeão da Guanabara, ao vencer o Fluminense por 2x1. O adversário jogava pelo empate e abriu o placar ainda no primeiro tempo. Na etapa final, Nilo (foto na lateral) empatou para o América e o zagueiro Jorge, "entrou com bola e tudo" nas redes do adversário.

1961
Com a conquista de 1960, o América recebeu vários troféus: Competição das Torcidas, O Globo e Rádio Globo, Craque do Ano (João Carlos); Técnico do Ano (Jorge Vieira); Zagueiro Central (Djalma Dias); Médio Volante (Amaro); Revelação (Djalma Dias). Disputou dois quadrangulares na Colômbia e venceu ambos. Em pentagular no México o América foi vice-campeão, sendo superado apenas pelo Santos de Pelé.

1962
Amaro, Campeão em 1960, foi vendido para o Juventus, da Itália, por Cr$ 72 milhões. Liquidada hipoteca com a Caixa Econômica Federal. Morreu Oswaldinho, campeão do Centenário (em 1922), tido como o melhor jogador do América em todos os tempos. América comprou o Andaraí por Cr$ 60 milhões e o novo estádio recebeu o nome de Wolney Braune. Último jogo do América em Campos Sales, contra o Olaria.

1963
Morreu Lamartine Babo, o Lalá, americano de coração e autor dos hinos do América, Bangu, Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco da Gama. Morreu Alberto Gustavo Hagstroem, fundador e sócio número 2 do América.

1966
Fernando Ojeda deu a saída no jogo inaugural do Estádio do Andaraí.

1967
Primeiro jogo oficial no Andaraí, América 1x1 Fluminense. Morreu Fernando Ojeda, campeão de 13 e 16. Derrotando o Vasco por 3x1 (gols de Edu), o América venceu o Torneio Internacional Negrão de Lima.

1971
Zezé Moreira foi escolhido como novo técnico. No mês seguinte, ao substituir Edu, o jogador chutou contra o próprio gol e recebeu um soco do treinador. Os demais jogadores, solidários a Edu, pediram a saída do técnico. Carvalhal assumiu em seu lugar.

Escândalo no esporte: uma empresa comprou a renda do jogo Olaria x Flamengo, no claro intuito de impedir a participação do América na Taça de Prata, em benefício do Olaria. Em nota oficial conjunta, América e Bangu lamentaram a maior "molecagem" já acontecida num futebol que se orgulhava de ser tricampeão do mundo. A FCF, compactuando com a canalhice, computou a renda do jogo. O América recorreu, ganhou no tapetão e a CBD convidou o América para disputar a Taça de Prata. Em resposta dentro de campo, o América, com um futebol sério e prático, foi o melhor colocado na fase de classificação da competição.

1974
O clássico da paz, entre América e Vasco vira guerra. O juiz Valquir Pimentel invalidou gol legítimo de Luizinho e não coibiui a violência de ambas as partes. No final, 2x0 para o adversário.

1975
Edu foi cedido ao Vasco da Gama. O time cruzmaltino promete não escalar o jogador em jogos contra o América, mas não cumpre a promessa. Em circunstâncias infames, o América perdeu a Taça Guanabara. Todos os jornais foram unânimes em apontar a imoralidade que cometeram contra nosso clube. Foi publicado na Tribuna da Imprensa: "O América pode ser chamado de agência suburbana de banco, porque é o mais assaltado". Edu foi devolvido pelo Vasco sem nenhum agradecimento. Mas agradecer o quê?

1978
A Associação Atlética Filhos de Iguaçu propôs fusão com o América, que foi aceita. Inaugurada nova sede da Rua Campos Sales, 118, com a presença do Presidente da República, do Governador do Estado e do Governador eleito, autoridades civis e militares e presidentes do Flamengo e Madureira.

1979
Na sede do América reuniram-se os dirigentes do futebol para tratar do televisionamento dos jogos, da criação da Associação dos Clubes de Futebol, da divisão do Campeonato Brasileiro em duas divisões. Dissidentes propuseram a extinção do futebol no América, com a conseqüente fundação do América Country Club, o que foi prontamente vetado.




Pesquisas realizadas por Sidney Barbosa da Silva e Rafael de Paula da Silva
Fonte: Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br; www.america-rj.com.br, de 09/Outubro/2004.
Página adicionada em 24/Janeiro/2013.


Pesquisa personalizada






Ir ao Topo