Campeões do Futebol
Pesquisa personalizada
Siga o Campeões do Futebol no Facebook

HISTÓRIA DO CAMPEONATO BRASILEIRO DE SELEÇÕES ESTADUAIS (PARTE 1)

  História Parte I     |     História Parte II     |     Todos Campeões                  + FUT-BRASIL
Abaixo transcrição da matéria de autoria do jornalista Carlos Arêas no Jornal Globo Sportivo, de 13 de janeiro de 1950, em pesquisas realizadas por Alexandre Magno Barreto Berwanger.
Estamos já na disputa das preliminares do campeonato brasileiro de football. Depois de três anos de paralisação, ora por um ora por outro motivo, a C.B.D. entrou no ano de 1950, extamente no dia 1° de janeiro, com a disputa do 20° certame nacional. Vinte e quatro concorrentes estão alistados para o campeonato, o que constitui um record, registrando-se inclusive uma estréia: a do território do Amapá. No dia primeiro do ano tivemos um só jogo entre as seleções do Acre e do Guaporé, no domingo seguinte tivemos quatro jogos e desde então o certame irá ganhando embalagem e projeção, com mais jogos e em zonas mais variadas até chegar às semi-finais em que entrarão os rivais clássicos do campeonato: cariocas e paulistas, ao ensejo da tradicional disputa, que movimenta os principais cracks do norte ao sul do país, interessante é sempre uma recapituilação geral do que tem sido o campeonato brasileiro de foot-ball desde o ano de sua instituição oficial - 1923 - até o último realisado, que começou em 1946 para terminar em março de 1947.

OS CARIOCAS COM AMPLA VANTAGEM DE TÍTULOS

Dos dezenove campeonatos brasileiros oficiais já disputados - e chamdos de oficiais os que foram disputados sob a égide da C.B.D. - os cariocas venceram doze, os paulistas seis e os baianos um. Os títulos levantados pelos cariocas foram nos anos de 1924, 1925, 1927 e 1931 com as camisas da A.M.E.A., 1935 com a camisa da F.M.D., 1938, 1939 e 1940, com as camisas da F.M.F. Os títulos ganhos pelos paulistas foram nos anos de 1923, 1926 e 1929 com as camisas da A.P.E.A. e 1936, 1941 e 1942 com as camisas da F.P.F.

O título único que fugiu das mãos de cariocas e paulistas, foi o do ano de 1934 levantado pelos baianos, e que teve como sede dos jogos finais a cidade de Salvador.

COMO NASCEU O CAMPEONATO BRASILEIRO: DA EXPERIENCIA DO TORNEIO DE SELEÇÕES DE 1922

Como citamos linhas acima, o campeonato brasileiro de football foi disputado pela primeira vez com carater oficial, no ano de 1923. Nasceu de todavia, da experiência de um torneio de seleções levadas a efeito em 1922, com o objetivo de servir de base para a escolha dos elementos que integrariam o scratch nacional que iria participar do campeonato sul-americano a ser realizado na capital da República. O torneio de seleções de 1922 contou com a participação das representações de São Paulo, que foi a campeã, Distrito Federal, Baía, Rio Grande do Sul, Estado do Rio, Paraná e Minas.

Dez jogos foram disputados, oferecendo estes resultados:

Paulistas x Mineiros, em S. Paulo - Venceram os paulistas por 13x0.

Paranaenses x Gauchos, em Curitiba - Empate de 1x1 no primeiro jogo e vitoria dos gauchos por 4x2 no match-desempate.

Cariocas x Fluminenses no Rio - Venceram os cariocas por 2x0. Goals de Nilo (2).

Cariocas x Baianos, no Rio - Empate 2x2. Goals de Zezé (dois) para os cariocas e Manteiga e Pinima, para os baianos.

Paulistas x Gauchos, em São Paulo - venceram os paulistas por 4x2.

Cariocas x Gauchos, no Rio - Venceram os cariocas por 2x0. Goals de Zezé (2).

Paulistas x Baianos, em São Paulo - Venceram os paulistas por 3x0.

Baianos x Gauchos, no Rio - Venceram os baianos por 1x0.

Paulistas x Cariocas, em São paulo - Venceram os paulistas por 4x1. Goals de Friedenreich (2), Neco e Rodrigues para os paulistas e Brilhante para os cariocas.

Os teams disputantes contaram com os seguintes valores na última peleja:
Paulistas: Primo - Clodoaldo e Barthô - Brasileiro - Amilcar e Gelinho - Formiga - Mario de Andrada - Friedenreich - Neco e Rodrigues.
Cariocas: Haroldo - Palamone e Chico Netto - Lais - Osvaldinho e Fortes - Leite - Zezé - Candiota - Junqueira e Brilhante.

Tambem jogaram em outras partidas anteriores pelos cariocas Telefone, zagueiro esquerdo, Alfredinho, center-half, Nilo, center forward, Machado, meia esquerda e Antenor e Moura Costa extremas esquerda. Nilo nessa ocasião atuava pelo S.C. Brasil, na 2ª divisão da Liga Metropolitana e foi o primeiro e único jogador de 2ª divisão a ser chamado para o scratch, preterindo os centers da 1ª divisão.

Pelos paulistas jogaram tambem Bianco, back, Bertolino e Faragassi medios, e Heitor, na meia direita.

Os baianos contaram com: Baby - Satinho e Durval - Mica - Popó e Nebulosa - Pinima - Petiot - Vivi - Manteiga e Sandoval. Um team que fez sucesso, tendo cartazes já conhecidos dos cariocas como Petiot, que jogara pelo Botafogo e Nebulosa e Manteiga que haviam jogado pelo América, além do famoso Popó, de Baby, um grande keeper que ficou no Botafogo, de Mica, um half segurissimo que integrou a seleção brasileira no ano seguinte, 1923, e Vivi, um center forward de metro e meio de altura, mas que jogava como gente grande.

Os gauchos contaram com Lara - Neco e Presser - Alberto (Dorival) - Xingo e Quincas - Leão - Lagarto - Willy - Mosquita e Barros. Lagarto veio dois anos depois para o Fluminense, onde chegou ao scratch brasileiro, e Xingo ingressou no Palestra, onde chegou ao scratch paulista, formando uma famosa linha media com Amilcar e Serafim.

OS PAULISTAS - CAMPEÕES DO PRIMEIRO CERTAME OFICIAL

O interesse despertado pelo torneio das seleções animou a C.B.D. a tratar de promover no ano seguinte, 1923, o 1° campeonato brasileiro oficial. Inscreveram-se nove concorrentes que foram os sete do ano anterior e mais Pará e Pernambuco. Os paulistas foram os campeões derrotando os cariocas na partida final por 4x0.

As equipes foramaram assim: Paulistas: Primo - Clodoaldo e barthô - Sergio - Amilcar e Arthur - Neco - Heitor - Friedenreich - Tatú e Feitiço. Cariocas: Nelson - Palamone e Alemão - Nesci (depois Zezé) - Scabra (depois Nesi) e Fortes - Zezé - Coelho - Nonô - Nilo e Moderato. Seabra saiu de campo contundido no primeiro tempo e não voltou mais, ficando os cariocas reduzidos a dez jogadores.

CARIOCAS, OS CAMPEÕES DE 1924

O 2° campeonato oficial, disputado em 1924, teve como campeões os cariocas que venceram os paulistas no jogo final por 1x0. Goal de Nilo. Os teams finalistas foram este: Cariocas: Haroldo - Penaforte e Helcio - Nesi - Seabra e Fortes - Zezé - Lagarto - Nonô - Nilo e Moderato. Paulistas: Nestor - Bianco e Barthô - Japonês - Gambarota e Serafim - Filó - Neco - Heitor - Feitiço e Osses.

EM 1925 (O ANO DO FLAFLU) NOVAMENTE CAMPEÕES OS CARIOCAS

O terceiro campeonato brasileiro em 1925 terminou novamente tendo os cariocas como campeões. Foi o ano que celebrizou para sempre a expressão Fla-Flu, de vez que a seleção campeã contou apenas com jogadores do Flamengo e do Fluminense. Para a decisão do certame foram precisos aliás dois jogos com os paulistas. No primeiro registrou-se um empate de 1x1. E no segundo os cariocas venceram por 3x2. Os quadros formaram assim no primeiro encontro. Cariocas: Haroldo (Flu) - Penaforte (Fla) e Helcio (Fla) - Nascimento (Flu) - Floriano (Flu) e Fortes (Flu) - Newton (Fla) - Candiota (Fla) - Nonô (Fla) - Nilo (Flu) e Moderato (Fla). Paulistas: Tuffy - Clodoaldo e Barthô - Abate - Amilcar e Serafim - Formiga - Neco - Friedenreich - Heitor e Rodrigues.

Para o segundo jogo os cariocas apresentaram o mesmo team, enquanto os paulistas colocaram Gelindo no lugar de Abate e surgiram com o ataque assim formado: Filó - Mario de Andrada - Petronilho - Neco e Formiga.

EM 1926 VOLTARAM OS PAULISTAS A SAGRAREM-SE CAMPEÕES

No quarto campeonato, em 1926, os paulistas voltaram a sagrarem-se campeões brasileiros. Os bandeirantes registraram nesse ano o placard que até hoje é o record dos campeonatos: - 16x0 sobre os catarinenses. Na partida final lutaram mais uma vez cariocas e paulistas vencendo estes por 3x2. Registrou-se aliás um fato interessante nessa peleja. Quando os teams entregavam-se ao tradicional bate-bola, Nesi, que era o half esquerdo titular, torceu o pé e não pôde jogar, sendo então substituido por Hermógenes, que era reserva e já estava tambem uniformizado no bate-bola.
  História Parte I     |     História Parte II     |     Todos Campeões                  + FUT-BRASIL
Fonte: Matéria de autoria do jornalista Carlos Arêas no periódico O Globo Sportivo, de 13 de janeiro de 1950.
pesquisas realizadas por Alexandre Magno Barreto Berwanger
Página adicionada em 13 de maio de 2013.
  CAMPEÕES   ESPECIAIS
  + ESPECIAIS   + FUTEBOL
Fotos e curiosidades sobre carrões importados e nacionais Siga o Campeões do Futebol no Twitter
   Home      Historiadores      Blog Campeões      Loja Campeões
  Arquivo Campeões do Futebol - Desde 2005 | Desenvolvido e mantido por Sidney Barbosa da Silva | Hospedagem SBSites Brasil
 
  * Permitido a reprodução de todo conteúdo desde que citada a fonte e o Autor/Pesquisador