COPA RIO INTERNACIONAL - 1952



HISTÓRIA TABELA 1951 TABELA 1952                     + TABELÃO GERAL

       

A Taça da Copa Rio de 1952
A Copa Rio de 1952
Fluminense
Equipe do Fluminense - campeão Copa Rio de 1952

Critério de disputa
Esta segunda edição da Taça Rio, foi antecipada a pedido da equipe do Fluminense, como forma de comemorar os seus cinquenta anos, pois estava marcada para 1953. Inicialmente, 10 equipes deveriam participar deste torneio, mas Juventus, de Turim, da Itália e Racing, da Argentina, desistiram da disputa. O campeão Fluminense, por meio de um dossiê enviado à FIFA, chegou a pedir reconhecimento do torneio como sendo a segunda edição do campeonato mundial de clubes.

PARTICIPANTES
GRUPO RIO DE JANEIRO
Fluminense (Brasil) - Campeão Estadual do Rio de Janeiro de 1951
Sporting Lisboa (Portugal) - Campeão Nacional temp. 1951/52
Peñarol (Uruguai) - Campeão Nacional de 1951
Grasshopper (Suiça) - Campeão Nacional temp. 1951/52
GRUPO DE SÃO PAULO
Corinthians (Brasil) - Campeão Estadual de São Paulo em 1951
* Saarbrucken - Vice-campeão Nacional temp. 1951/52
* Austria Wien - 2° colocado no Camp. Nacional temp. 1951/52
* Libertad (Paraguai) - 2° colocado no Camp. Nacional em 1952
Obs.: * estas equipes lideravam o campeonato em seu país na época do convite.

SOBRE O FIM DAS COPAS RIO :

Nota de Alexandre Magno Barreto Berwanger:
As Copas Rio foram torneios patrocinados pela Prefeitura do Rio de Janeiro, organizados pela CBD (Confederação Brasileira de Desportos, atual CBF) e autorizados pela FIFA .

Um detalhe que acabou marcando, de forma mais expressiva a II Copa Rio, é que ela foi a segunda e última. Em verdade, não se sabe bem porquê, cinco clubes do Rio e de S. Paulo reuniram-se e resolveram forçar a C.B.D. a extinguir a Copa Rio. Deixaram a entidade máxima com um torneio internacional na mesma época, mas com outro nome e outro regulamento. Inclusive aumentando o número de concorrentes brasileiros, que agora serão quatro: dois do Rio e dois de S. Paulo. E essa fórmula nova deverá começar a vigorar agora, neste ano de 1953.

Eu li os jornais da época e para mim isto seria o suficiente, mas segue para o leitor o artigo na íntegra (respeitada a redação original) sobre a Copa Rio 1952 publicado no Anuário do Esporte Ilustrado 1953:

"A II Copa Rio foi iniciada num sábado à tarde - 12 de Julho. No Maracanã jogaram o Peñarol e o Grasshopers. O campeão uruguaio, franco favorito, pois contava com quase todo o time que levantara a Copa do Mundo em 50, lutou com dificuldades para conter o ferrolho suiço, conseguindo apenas uma modesta vitória por 1 a 0. No Pacaembu jogaram o Áustria e o Libertad, e o time vienense confirmando a sua classe já demonstrada em 51, venceu bem por 4 a 2."

"No dia seguinte, domingo, 13, jogaram no Maracanã, o Peñarol e o Sporting. Foi um match sensacional, em que os portugueses, resistindo bravamente aos ataques mais penetrantes dos tricolores, chegaram ao final da lutta com um honroso empate por 0 x 0. E no Pacaembu, o campeão paulista - Corinthians - estreava espetacularmente goleando o Saarbrücken por 6 x 1. "

" Na segunda rodada, na noite de 16, enfretaram-se, no Maracanã, o Peñarol e o Sporting. Foi um match bem movimentado, em que a melhor classe dos uruguaios acabou se impondo à valentia dos portugueses, pela contagem de 3 x 1. O primeiro tempo terminou empatado em 0 x 0. Enquanto isso no Pacaembu, o Áustria voltava a vencer, impondo-se com facilidade ao Saarbrücken por 5 x 1."

"Na noite seguinte, voltou o campeão carioca ao Maracanã para enfrentar o Grasshopers e viver outro drama intenso. Encontrando a mesma dificuldade que havia encontrado o Peñarol para romper o ferrôlho suiço, o Fluminense não conseguiu nada no primeiro tempo, que terminou 0 x 0. E na segunda fase, somente quando faltavam doze minutos para findar a luta, foi que marcou o gol da vitória. Já n Pacaembu, o Corinthians voltava a marcar um triunfo fácil, abatendo o Libertad, pela ampla vantagem de 6 x 0."

"Na tarde de sábado, 19, o Sporting e o Grasshopers despediam-se do torneio no Maracanã. Ratificando a boa impressão da estréia, os portugueses levaram a melhor na luta, derrotando os suíços por 2 x 1. E no Pacaembu despediam-se também os dois perdedores da série paulista, com os paraguaios do Libertad derrotando os alemães do Saarbrücken por 4 x 1."

"No dia seguinte, encerrando o turno carioca de classificação, jogaram no Maracanã o Fluminense e o Peñarol. Os tricolores, que não haviam convencido nos dois primeiros jogos, se reabilitaram no cotejo com os campeões uruguaios, vencendo bem por 3 x 0 e firmando-se assim como o nº 1 da chave. No Pacaembu defrontaram-se os também invictos, Corinthians e Áustria, sendo que desta feita o campeão paulista não conseguiu a goleada que vinha marcando sucessivamente. Com muita dificuldade venceu por 2 x 1, sendo que o primeiro tempo terminou com a vantagem de 1 x 0 para os austríacos."

"De acordo com a regulamentação do certame, nas semi-finais o Fluminense teve que enfrentar o Áustria, segundo colocado na chave paulista, enquanto Corinthians jogava com o Peñarol. O primeiro jogo realizado entre os tricolores e os austríacos no Maracanã terminou com a difícil vitória do campeão carioca por 1 x 0 apenas. No segundo jogo, porém, o Fluminense conseguiu desbaratar a resistência austríaca, vencendo por 5 x 2. O Áustria na metade do primeiro tempo esteve vencendo por 2 x 1, mas já no final desta fase os tricolores estavam à frente com 3 x 2."

"No Pacaembu, o Corinthians e o Peñarol jogaram apenas a primeira metade da semifinal. Tão acidentada foi esta peleja, ganha pelo campeão paulista por 2 x 1 que o Peñarol desistiu da segunda, abandonando o certame. Interessante é que os uruguaios se queixaram da violência do jogo, mas foi o Corinthians que teve dois players fora de combate: - Baltazar, com fratura e afundamento do malar, e Murilo com forte contusão no joelho. Ambos não puderam jogar mais até o fim do certame. Dois uruguaios foram expulsos de campo, sendo Romero por jogo violento e Miguez por agressão ao árbitro, o alemão Dinger."

"Com a vitória do Fluminense sobre o Áustria e a desistência do Peñarol, ficaram os dois clubes brasileiros classificados para a final da II Copa Rio. No primeiro jogo, o Fluminense levou a melhor pela contagem de 2 x 0, marcando um goal em cada tempo. No segundo encontro, na noite de 3 de Agosto, registrou-se um empate de 2 x 2 e assim o Fluminense sagrou-se campeão do certame. Uma vitória tão mais expressiva porque conquistada justamente no ano do cinquentenário do tricolor carioca."


Tabela - Fase de Grupos

DATA GRUPO DO RIO DE JANEIRO DATA GRUPO DE SÃO PAULO
13/07 Peñarol 1 x 0 Grasshopper 13/07 Libertad 2 x 4 Áustria Wien
13/07 Fluminense 0 x 0 Sporting 13/07 Corinthians 6 x 1 Saarbrucken
17/07 Peñarol 3 x 1 Sporting 16/07 Áustria Wien 5 x 1 Saarbrucken
17/07 Fluminense 1 x 0 Grasshopper 16/07 Corinthians 6 x 1 Libertad
20/07 Sporting 2 x 1 Grasshopper 19/07 Libertad 4 x 1 Saarbrucken
20/07 Fluminense 3 x 0 Peñarol 19/07 Corinthians 2 x 1 Áustria Wien
Classificação
GRUPO RIO DE JANEIRO
1°- Fluminense, 05 pontos; 2°- Peñarol, 04; 3°- Sporting, 03; 4°- Grasshopper, 00.
GRUPO SÃO PAULO
1°- Corinthians, 06 pontos; 2°- Áustria Wien, 04; 3°- Libertad, 02; 4°- Saarbrucken, 00.

Semifinal

Jogos realizados no Estádio do Pacaembú/SP
--/07 Corinthians 2 x 1 Peñarol --/07 Corinthians WO x 0 Peñarol
Jogos realizados no Estádio do Maracanã/RJ
23/07 Fluminense 1 x 0 Áustria Wien 15/07 Fluminense 5 x 2 Áustria Wien

FINAL

PRIMEIRA PARTIDA

30/07 - FLUMINENSE 2 x 0 CORINTHIANS

SEGUNDA PARTIDA

02/08 - FLUMINENSE 2 x 2 CORINTHIANS
Local: Estádio do Maracanã/RJ   Público: 65.946 (53.074 pagantes)
Árbitro: Gaby Tordjman (França)
Gols: Didi 10 do 1° tempo; Jackson 11 , Marinho 19 e Souzinha 45 do 2 ° tempo.
Fluminense: Castilho, Píndaro, Pinheiro (Nestor), Jair, Édson, Bigode, Telê (Robson), Didi, Marinho, Orlando e Quincas. Téc: Zezé Moreira
Corinthians: Gilmar; Homero e Olavo; Idário (Sula), Goiano e Julião; Cláudio, Luisinho (Souzinha), Jackson e Colombo. Téc.: Rato
Obs: os dois jogos foram realizados no Maracanã, Rio de Janeiro

Alexandre Magno Barreto BerwangerPesquisas de Alexandre Magno Barreto Berwanger.
Fonte: Anuário do Esporte Ilustrado 1953 e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br
Página adicionada em 15 de fevereiro de 2010 - atualizada em 28/Julho/2016.
Colaboração de Sidney Barbosa da Silva.

 

 

Pesquisa personalizada

 

Livros Digitais Campeões do Futebol

Ir ao Topo