HISTÓRIA DA ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA DA BAHIA


AA da Bahia  ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA DA BAHIA
  Fundada em 04 de Outubro de 1914
  Endereço: Rua Cesar Zama, nº 316, Barra Avenida - Salvador - BA. CEP 40140-060
  Site oficial: http://aatleticadabahia.com.br


Clubes do Brasil Clubes do Mundo Clubes Amadores + FUT-BAHIANO

   

Em 4 de outubro de 1914, dia de São Francisco de Assis, um grupo formado por dez pessoas reuniram-se à casa n° 19, 3° andar, na Rua São Pedro, para fundar uma sociedade esportiva que se destinasse ao cultivo de todos os jogos esportivos, muito especialmente o foot-ball, tomando a denominação de Associação Athletica da Bahia, tendo como fundadores Américo Salles, Antônio Bernardino de Carvalho, Boaventura Moreira Caldas, Carlos Alberto Cruz, Carlos da Costa Cruz, Eduardo Dias Pereira, Geraldo Lanza, João Vianna Dias da Silva, Manoel da Costa Cruz e Raymundo Chaves de Aguiar.

Sobre suas cores, a ata de fundação, em seu artigo 1°, dava como cores distintas calção e camisa brancos e ao lado esquerdo, no peito, uma circunferência vermelha com as iniciais A.A.B. em branco.

Sua primeira diretoria ficou assim formada: João Vianna Dias da Silva (Presidente), Carlos Alberto Cruz (Vice-Presidente), Boaventura Moreira Caldas (Secretário), Antônio Bernardino de Carvalho (Tesoureiro) e Eduardo Dias Pereira (Diretor de Esportes). Para compor a Diretoria, os dez fundadores, todos amigos, escolheram o mais velho do grupo para presidir a entidade, ficando o autor da ideia do clube, Eduardo Dias Pereira (recebeu o apelido de Mamãe), como diretor de esportes, para viabilizar a formação da equipe e providenciar os jogos.

O início foi muito difícil, até mesmo conturbado, com mudanças constantes de membros da Diretoria, renúncias e saídas de sócios.


PRESIDENTES
João Vianna Dias da Silva 1914
Carlos Alberto Cruz 1914-1915
Eduardo Silva Lima 1915
Mário Cezar de Carvalho 1915-1919
Frederico Matheus dos Santos 1919-1920
Arthur Motta 1920-1921
Henrique Conde 1921-1922
Bernardino Madureira de Pinho 1922-1923
Henrique Conde 1923
Carlos de Aguiar Costa Pinto 1923
Pedro Bacellar de Sá 1923-1924
Antônio Guilherme Pereira de Carvalho 1924
Alfredo Henrique de Azevedo 1924-1925
José de Aguiar Costa Pinto 1925
Armando Joaquim de Carvalho 1925-1926
Antônio Guilherme Pereira de Carvalho 1926
Miguel Bartilotti 1926
Eduardo Rios Filho 1926-1927
Raul Faria 1927
Fábio de Carvalho 1927-1928
Alexander Von Usler 1928
Manoel Rodrigues Pedreira 1928-1931
Raphael L. Gordilho 1931-1932
Rafael Menezes 1932
Arthur Motta 1932-1933 (interino, 5 meses)
Fernando Corrêa Ribeiro 1933-1935
Hugo Studart 1935-1936
Archimedes Pires de Carvalho 1936-1937
Guilherme Carneiro da Rocha Marback 1937-1938
Bráulio Xavier Filho 1938-1939
Noé Rodrigues Nunes 1939-1941
Arthur Motta 1941-1942
Fernando Corrêa Ribeiro 1942-1945
Comissão Fiscal 1945-1946 (4 meses)
Jorge Corrêa Ribeiro 1946-1949
Antônio Menezes Dourado 1949-1954
Gustavo Maia 1954-1956
Carlos Coqueijo Torreão da Costa 1956-1964
Milton Pereira de Farias 1964-1966
Jorge Diniz Gonçalves Beltrão 1966-1970
Pergentino Holanda dos Santos Filho 1970-1971
Nilton Silva 1971-1984
Carlos Roberto Soares de Miranda 1984-1988
Sinval Vieira da Silva Filho 1988-1990
Ademar da Silveira Brito 1990-1994
Alberto Florêncio da Silva 1994-1996
Geraldo José da Rocha Brasil 1996-1998
Ademar da Silveira Brito 1998-2002
Jayme Ribeiro Saldanha Júnior 2002-2004
Ademar da Silveira Brito 2004-2012
 
Primeira partida
Logo após a fundação, a Associação Athletica da Bahia foi desafiada pelo Sport Club Caixeiral. O “match”, que seria a estreia da Associação no futebol, foi marcado para a manhã do dia 8 de novembro de 1914, no Estádio do Rio Vermelho, o melhor que havia em Salvador. A Associação jogou com Mário Miranda; Capeto e Adherbal; Silva Lima, Souza Pinto e Carvalho; Aníbal, Luiz, Walsh, Zé Costa e Jayme. O Caixeiral, com um melhor entrosamento entre seus jogadores, venceu a partida por 3x1.

Primeiro campeonato
No primeiro campeonato promovido pela Liga Sportiva da Bahia (Não reconhecido pela atual Federação Bahiana de Futebol), realizado em 1915, a Associação sagrou-se campeã vencendo todos os cinco adversários: Caixeiral, São Bento, Yankee, Palmeiras e Democrata. A formação básica na campanha invicta foi com Lasdam; França e Walter, Armando, Tanner e Vellozo; Muller, Santos Souza, Liberato, Leal e Walsh. Em disputa estava a Taça Condor, ofertada pela Loja Condor.
Noticia AA da Bahia Campeão de 1015
O Título da AA da Bahia noticiado no periódico A Noticia, de 07 de Julho de 1915.

No Campeonato Baiano de Futebol (principal certame futebolístico), promovido pela Liga Bahiana de Sports Terrestres, a Associação ingressou em 1919. Antes do início do campeonato, a Associação sagrou-se vice-campeã do primeiro Torneio Início, realizado no Rio Vermelho, no dia 11 de maio. Eis o time da final, quando perdeu para o Ypiranda por 2x0, mas que valeu pela conquista do primeiro título na elite do futebol baiano: Mário Miranda; Armando Costa e Álvaro Barros; Marquito, J. Dias Lima e Jurandir; França, Ferreirinha, José Liberato, Liberato e Helvécio Araújo.

A estreia no campeonato foi no dia 25 de maio, com derrota de 3x2 para o Internacional, jogando com: Mário Miranda; França e Vellozo; J. Dias Lima, Álvaro Barros e Thetraldo Monteiro; Waldemar Tarquínio, José Liberato, Liberato, Muller e Helvécio Araújo. Muller marcou o primeiro gol e Liberato o segundo. O time terminou o certame de 1919 na quarta colocação.

Novas cores
No inicio do ano 1921 o clube passou autilizar o escudo atual (azul e branco). Raymundo Chaves de Aguiar, um dos fundadores, havia criado um novo escudo, com as cores que passaram a ser oficiais, azul e branco. No mesmo dia da aprovação do novo Estatuto, a Diretoria também aprovou, como anexo da lei orgânica, o Regimento Interno, que na segunda parte, que tratou do futebol, regulamentou o seguinte:
Artigo 5°. - O uniforme da Associação compõe-se de camisa azul com gola e punhos brancos, tendo do lado esquerdo o escudo, calças brancas e meias pretas.

Primeira partida interestadual
No dia 25 de setembro de 1921, um domingo, a Associação realizou o seu primeiro jogo interestadual, enfrentando a poderosa equipe do América do Rio de Janeiro. Com o Stadium da Graça completamente lotado, a equipe azulina atuou com Aragão; Santinho e Alvinho; Neblina Seabra e Cordeiro; Revelação, Scott, Todd, Liberato e Vellozo. A partida foi emocionante, tendo os baianos inaugurado o placar, mas os cariocas ganharam por 4x3. Os gols da Associação foram assinalados por suas duas maiores estrelas, Liberato (2) e Todd. Dois dias depois, no mesmo estádio, o América venceu o Ypiranga, campeão baiano, por 3x0.

Fim do futebol
No início de maio de 1928, as relações entre a Associação e a Liga Bahiana de Desportos Terrestres ficaram tensas por causa do “Caso Nadinho”. A Associação havia aplicado uma suspensão de 90 dias pela tentativa do jogador se transferir para o Guarany de forma fraudulenta, após ter-lhe sido negada a cessão do passe. Logo em seguida, já suspenso, Nadinho jogou pelo Guarany numa partida não oficial. A Diretoria da Associação, julgando-se desafiada pelo atleta, resolveu então aplicar a pena da eliminação de seu quadro.

A Liga entendeu a questão da seguinte forma: o atleta deveria cumprir a suspensão dos 90 dias que lhe foi imposta. Porém, depois, como havia sido eliminado da Associação, estaria livre para tomar parte em jogos oficiais por qualquer outra agremiação.

A Associação não concordou com essa interpretação, arguindo que Nadinho não deveria ser admitido em nenhum clube filiado à Liga, ou seja, o banimento teria de ser estendido aos demais coirmãos. Como a Liga considerou oficial apenas a pena da suspensão e desconsiderou a pena do banimento fora do âmbito da Associação, a crise estourou publicamente e a AA da Bahia se retirou do campeonato de 1928.

No ano seguinte volta a disputa do campeonato após vários pedidos dos clubes participantes com aval da Liga.

O campeonato de 1929 foi concluído no ano seguinte, tendo a Associação obtido o 3º lugar. Sua última partida ocorreu numa terça-feira, noite de 18 de fevereiro de 1930, no Stadium da Graça, quando enfrentou e empatou com o Botafogo por 4x4. Nesta edição do torneio se sentiu perseguido pela Liga Bahiana nos jogos contra o Ypiranga e decidiu não participar do campeonato de 1930, e não retornando mais as atividades futebolisticas. Durante o ano de 1930 fez apenas alguns jogos amistosos em outras cidades e até fora do estado. Mas em seguida desativou o departamento de futebol.

Como o grupo ficou sem poder praticar o esporte que amam, alguns dos seus principais jogadores se reuniram com os do Club Bahiano de Tênis para formar o atual Esporte Clube Bahia.

Em dez participações na principal divisão do futebol baiano, promovido pela Liga Bahiana de Desportos Terrestres (atual Federação Baiana de Futebol), a Associação Atlética da Bahia foi campeã uma vez, vice-campeã cinco vezes e duas vezes campeã dos segundos times, também chamado de campeonato dos reservas ou aspirantes. No Torneio Inicio obteve um título de campeão e quatro segundos lugares.

Obteve também o título de campeão do Torneio Início Juvenil de 1927, ano em que essa competição foi disputada pela primeira vez na Bahia. Ainda nesse ano, a Associação também foi campeã do primeiro campeonato de juvenis, com o seguinte time base: Derval; Frederico e Sampaio; José, Carvalho e Maciel; Reis, Aníbal, Marôto, Zequinha e Caldas.

Títulos conquistados
Campeonato Bahiano: 1924
Torneio Inicio do Campeonato Bahiano: 1928
Campeonato Bahiano de Segundos Quadros: 1923, 1924
Campeonato bahiano de Juvenís: 1927
Torneio Início Juvenil do Campeonato Bahiano: 1927

TÍTULO NÃO RECONHECIDO
Campeonato Bahiano pela Liga Sportiva da Bahia (Não reconhecido pela atual Federação Bahiana de Futebol): 1915 (Taça Condor).

SEDE ATUAL
Sede Clube Social da AA da Bahia - Foto 2011
Mesmo fora das disputas ociciais no futebol a Associação Atlética da Bahia matém seu clube social e é um dos mais antigos do estado da Bahia.


Por Sidney Barbosa da Silva.
Fontes: Livro História da Associação Atlética da Bahia - Ano 2012 -, de Ubaldo Marques Porto Filho; Periódico A Noticia, de 07 de Julho de 1915; e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br.
Página adicionada em 16/Janeiro/2019.