Esta foi a 3ª edição do Campeonato Sul-americano, que seria realizado em 1918, mas devido a epidemia da gripe espanhola foi adiado para 1919. A competição se desenrolou entre os dias 11 e 29 de maio, sendo disputada no estádio das Laranjeiras, cujas arquibancadas foram construídas especialmente para a competição. Confira como foi o campeonato em relatos de periódicos da época:

Sobre a edição do Campeonato Sul-americano no Brasil

Vida Sportiva, 10 de maio de 1919 - O desporto brasileiro, neste mês de maio, enfrentará a prova maxima da sua existência, pois é pela primeira vez que nossa terra se realisa o campeonato sul-americano. Não só lhe pesa a responsabilidade de revelar ao extrangeiro o gráo de perfeição do "football" brasileiro, mais tambem aos patricios mostrar, em cotejo rigoroso, nesta prova durissima, que o Desporto Brasileiro de facto é digno de figurar e perlustrar no mundo desportivo.
Estádio das Laranjeiras palco do Sulamericano de 1919
O estádio das Laranjeiras em 1919, palco dos jogos do Campeonato Sul-americano daquele ano. Fonte: Arquivo Nacional.

Sobre a conquista do Brasil

Correio Paulistano, 30 de maio de 1919 - O combinado brasileiro levantou hontem, após sensacional disputa, o glorioso titulo de campeão sul-americano de football. Venceram os players nacionaes, em uma prova por todos os titulos empolgantes, os laureados footballers uruguayos.

Esse resultado representa para o nosso sport um dos mais brilhantes feitos do football brasileiro. O Brasil tem sahido varias vezes victorioso em partidas internacionaes que foram disputadas pelos nossos jogadores, quer em nosso paiz, quer em paizes extrangeiros. (...) O dia de hontem marca para o sport brasileiro um dos mais memoraveis triumphos da historia do nosso football. A nossa victoria tem, de facto, dupla significação. Sobrepujamos um adversario temivel, respeitavel e que fazia grande propaganda da sua invencibilidade e que veiu certo de conquistar, pela terceira vez, sem grande difficuldade, o titulo de campeão do continente.

Sobre o jogo desempate Brasil x Uruguai

Correio Paulistano, 30 de maio de 1919 - Rio, 29 (A) - Enorme multidão ocorreu hoje ao "stadium" do Fluminense para assistir o match decisivo entre as duas equipes do Uruguay e Brasil, para a conquista do ambicionado titulo de campeão sul-americano.

A lucta entre os dois partidos foi, sem duvida, uma das mais emocionantes que o mundo sportivo brasileiro teve occasião de presenciar, e ambos desenvolveram optimo jogo e trabalharam bastante.

A's 14 horas deram entrada no campo, sob enorme salva de palmas (...).

Cinco minutos depois o sr. dr. Coelho Netto, em nome do ministro das Relações Exteriores, entregou ao chefe das delegações sportivas do Chile, Uruguay e Argentina tres grandes e lindas corbeilles de flores naturaes.



O Relato da Partida

A's 14,15 os brasileiros dão a sahida e perdem a pelota. Os visitantes tentam avançar, porém Amilcar toma-lhes a bola e a envia aos seus companheiros atacantes, fazendo Arnaldo bom centro que é desperdiçado por Milton. Voltam os brasileiros ao ataque a Saporiti faz a primeira defesa da tarde de um shoot de Friendereich. Logo após, é registado um hands de Gradín quando tentava avançar, que tirado por Bianco é aproveitado pela linha brasileira que torna ao ataque. Ahi Saporiti é obrigado a intervir pela segunda vez, para defender um possante pelotaço de Arnaldo. A's 14,22, sempre com os brasileiros atacando, Varolla é obrigado a mandar a pelota a corner. Este, tirado pelo nosso extrema esquerda, não produz resultado.

Após esta penalidade os uruguayos fazem a sua primeira investida, que é inutilizada por um hands de Scarone. Logo em seguida Vanzzino commette identica penalidade. A's 14,25 Heitor machuca-se e o jogo é suspenso por alguns minutos. Reiniciada a partida os nossos avançam e são interrompidos por um off-side de Millon. Voltam os nossos ao ataque e Neco shoota fortemente em goal.

Pouco depois os uruguayos conseguem investir e Bianco, ao tentar tirar a pelota de Gradin, faz um foul, que, tirado pelo center uruguayo, é defendido por Pindaro. Volvem os uruguayos e Amilcar faz um foul em Romano, que tirado por Zibecchi, é aproveitado por Gradia que passa a pelota a Maran. Este, completamente desmarcado, consegue escapar e desfere forte tiro que marcos segura bem. Tentam avançar, novamente, os uruguayos e Preze é dado como em off-sede. Este, tirado por Fortes, dá ensejo a que os nossos patricios avancem. Néco, depois de receber um passe de Friendereich, shoota fortemente, sendo registada nova defesa do keeper oriental. Minutos depois o jogo passa a ser feito no meio do campo, até que Pe rez escapando, centra optissimamente e Marcos faz estupenda pegada de formidavel tiro de Scarone. Os brasileiros atacam e Arnaldo atira forte kick que Saporiti defende.

Novo ataque dos visitantes, e Maran shoota fortemente rasteiro, sendo Marcos obrigado a fzer nova defesa. Outro ataque dos uruguayos é annotado e o goal, sob a guarda de Marcos, passa, neste instante, por enorme perigo, pois o nosso keeper, defendendo um forte shoot de Romano, não segura bem a pelota, que é tomada por Perez. Este centra, Romano envia bom kick contra o goal desguarnecido, que é salvo por Bianco, com opportuna cabeçada. A pelota vai ter novamente a Romano, que shoota incontinenti. Marcos, já no goal, faz optima defesa.

Os brasileiros reagem e Varella faz boa tirada de Friendereich. Os orientaes voltam ao ataque e Gradin shoota rasteiro, sendo registada nova pegada de Marcos.

Os nossos conseguem atacar e Foglino faz um corner ao rebater um tiro de Neco. O kick é batido optimamente por Fortes e é desperdiçado por Millon, que põe a pelota fora.

Poucos minutos depois, termina o primeiro tempo.

O segundo half-time - A's 15,12, Romano inicia o segundo tempo, e, juntamente com os seus companheiros, investe contra o posto contrario, onde aquelle jogador desfere forte kick enviezado que Marcos consegue defender com esforço, desviando a pelota para a linha de corner. Batida a respectiva penalidade por Vanzzino, não produz resultado.

Pouco depois, os brasileiros correm contra o posto de Saporiti, que defende bom tiro de Friendereich. Novo ataque dos brasileiros é interrompido por Millon, que estava off-side. Um minuto depois, Perez faz um hands e a linha uruguaya volta ao ataque. Marcos é obrigado a intervir novamente, para defender perigoso kick de Romano.

Os brasileiros respondem a esse ataque e Arnaldo é punido com um hands. Momentos depois, Gradin commette um foul, que dá ensejo a que a linha nacional organize novo ataque, que termina com uma defesa de Saporiti. Os brasileiros continuam atacando e outra vez o keeper contrario é obrigado a intervir.

Dois minutos após, os uruguayos contra-atacam e é registado um foul de Amilcar. Outro ataque dos mesmos finda com uma brilhante defesa de marcos. Dado o goal-kick, a linha deantera, após um foul de Vanzzine, carrega e o center brasileiro shoota fóra.

Pouco depois, o jogo é interrompido por 8 minutos, por se ter Amilcar machucado.

Reiniciado o jogo, os nossos passam para o campo adversario e Friendereich shoota alto.

Momentos depois Foglino envia a pelota a corner, quando Arnaldo tentava centrar em boas condições. A penalidade é batida, sem resultado, por Millon. Volvem os nossos ao ataque e Saporiti entervem brilhantemente.

Cinco minutos depois Saporiti cai com fortes caimbras. Reiniciada a peleja, Néco envia forte pelotaço em goal, fazendo Saporiti boa defesa.

Com mais alguns ataques dos nossos o segundo tempo termina com um empate de 0 a 0.

A primeira prorrogação - De accôrdo com o regulamento da Confederacion Sul-Americana de Football, o jogo é prorrogado por mais 80 minutos.

A's 16,12 os uruguayos iniciam este tempo e perdem a pelota para os contrarios.

Estes investem e após uma defesa de Saporiti, Vanezzino concede um corner, que batido por Millon não dá resultado. Passam os uruguayos para o ataque e Bianco faz admiraveis defesas, muito bem auxiliado por Pindaro. Assim, com este leve dominio os uruguayos concedem um corner que não produz effeito.

Pouco depois Millon machuca-se e retira-se do campo.

Recomeçada esta os nossos passam para a offensiva e se conservam no campo adversario até que os 15 minutos terminam. Com mais um pequeno descanço os brasileiros dão a sahida e Varella faz boa tirada de Arthur, enviando a pelota aos seus companheiros atacantes que investem e obrigam Marcos a intervir.

O jogo mantem-se então, durante alguns minutos indeciso, até que Millon ao tentar escapar, dá forte tranco em Varella.

A penalidade é tirada pelo back Varella que passa a pelota a Romano. Este dribla a Amilcar e entrega a bola a Scarone, que desfere forte pelotaço em goal, que é bem defendido por Marcos.

Pouco depois Pindaro faz um corner que batido por Perez é melhor defendido por Bianco.

Voltam os uruguayos e regista-se uma nova defesa de Marcos.

Os nossos reagem e Arnaldo consegue centrar, produzindo Saporiti mais uma bôa defesa.

Os nossos conseguem dominar e Saporiti defende em seguida quatro poderosos shoots do trio central brasileiro.

Os nossos adversarios conseguem atacar e Sergio commette um hands perto da area perigosa, que é tirada por Scarone, enviando este a pelota fóra.

A's 16 e 40 termina esta primeira prorrogação com um novo empate de 0 a 0.

O desempate - A segunda prorrogação é começada pelos uruguayos ás 16 e 53 minutos, e os brasileiros investem, sendo Naguii obrigado a defender um corner.

Voltam os nossos á offensiva e Néco escapando pela sua extrema consegue centrar. Heitor emenda e Saporiti rebate fracamente, dando occasião a que Friendereich, com optimo tiro conquistasse o goal que garantiu ao Brasil o titulo de campeão sul-americano.
,br>Os visitantes dão a sahida e os brasileiros voltam ao ataque, Saporiti defende poderoso tiro de Néco. Pouco depois Varella envia a pelota a corner, que Millon bate sem resultado. Pouco minutos após novo corner é registado contra os mesmos, que também não surte effeito.

Momentos depois os 15 minutos terminam e os jogadores mudam de campo.

Os nossos saem e perdem a pelota para os uruguayos que obrigam Marcos a defender um tiro de Scarone.

Cinco minutos depois este jogador commette um foul, e é aggredido neste momento por um popular da geral. Estabeleceu-se então um pequeno conflicto que terminou com a intervenção da policia.

Após este lamentavel incidente o jogo é recomeçado e os uruguayos assediam fortemente o posto brasileiro, dando insano trabalho á defesa nacional que conseguiu impedir galhardamente que o posto de Marcos fosse vazado.

Cerca de oito minutos o jogo é desenvolvido na porta do arco brasileiro, até que depois os nossos, jogando somente com dez players, conseguem burlar a offensiva uruguaya e dirigir varios e perigosos ataques ao posto final do Uruguay.

Assim, com este jogo mais ou menos equilibrado, a pugna termina com a victoria da equipe nacional, que, deste modo, conseguiu pela primeira vez o titulo de campeão da América do Sul.

Brasil campeão do Sulamericano de 1919
Seleção Brasileira campeã do Campeonato Sul-americano 1919. Fonte: Arquivo Nacional.

FICHA TÉCNICA - JOGO DESEMPATE

BRASIL 1 x 0 URUGUAI (na quarta prorrogação de 15 minutos)
Data: 29/05/1919, nas Laranjeiras - Rio de Janeiro (BRA)
Publico estimado: 35 000 - Árbitro: Juan Pedro Barbera (ARG); Assistentes: Ernesto Matozzi (Argentina), Armindo Castagnola (Argentina).
Gol: Arthur Friendereich
BRASIL: Marcos de Mendonça (do Fluminense-RJ), Píndaro (Flamengo-RJ) e Bianco (Palestra Itália-SP); Sergio Pires (Paulistano-SP), Amílcar (Corinthians-SP) e Fortes (Fluminense-RJ); Millon (Santos-SP), Neco (Corinthians-SP), Friedenreich (Paulistano-SP), Heitor (Palestra Itália-SP) e Arnaldo (Santos-SP). Técnico: Ground Commité, formado por Arnaldo da Silveira (capitão), Amílcar Barbuy, Mário Pollo, Affonso de Castro e Ferreira Vianna Netto.
URUGUAI: Cayetano Saporiti, Manuel Varela e Alfredo Foglino; Rogelio Naguil, Alfredo Zibechi e José Vanzzino; José Pérez, Héctor Scarone, Angel Romano, Isabelino Gradín e Rodolfo Marán. Técnico: Severino Castillo.

Estatísticas
País/Sede: Brasil / Rio de Janeiro
Final: Brasil 1, Uruguai 0 (Arthur Friedenreich, 122 min). Nota: Foi jogo desempate, logo que ambos terminaram em primeiro lugar.
Artilheiros: Arthur Friedenreich, Brasil e Neco, Brasil, 4
Jogos: 7 - Total de Gols: 27 - Média de 3.8 por jogo

Curiosidades
1. O jogo de desempate entre Brasil e Uruguai foi o mais longo na história da Copa América: disputaram 150 minutos, já que o tempo suplementar foi de dois tempos de 30 minutos cada um.
2. No jogo contra o Chile, o goleiro uruguaio Roberto Chery sofreu uma grave lesão e morreu poucos dias depois. Este lamentável caso é único na história da competição.

CAMPEONATO SULAMERICANO 1919
Data Mandante Placar Visitante Local
11/05 Brasil 6 x 0 Chile Rio de Janeiro/BRA
13/05 Uruguai 3 x 2 Argentina Rio de Janeiro/BRA
17/05 Uruguai 2 x 0 Chile Rio de Janeiro/BRA
18/05 Brasil 3 x 1 Argentina Rio de Janeiro/BRA
22/05 Argentina 4 x 1 Chile Rio de Janeiro/BRA
26/05 Brasil 2 x 2 Uruguai Rio de Janeiro/BRA
Obs.: (*) Na classificação Brasil e Uruguai terminaram empatados e um jogo desempate foi marcado.
CLASSIFICAÇÃO FINAL PG J V E D GM GS SG
01- Brasil (*) (Campeão) 5 3 2 1 0 11 3 8
01- Uruguai (*) 5 3 2 1 0 7 4 3
03- Argentina 2 3 1 0 2 7 7 0
04- Chile 0 3 0 0 3 1 12 -11

Por Sidney Barbosa da Silva e Rafael de Paula da Silva.
Fonte: Vida Sportiva, 10 de maio de 1919; Correio Paulistano, 30 de maio de 1919; www.conmebol.com; Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br; Arquivo Nacionaal; e CBF.com.br (ficha da partida).
Página adicionada em 14/Junho/2011 - atualizado em 11/Junho/2019.

 

Shopping Digitais Campeões do Futebol