A história da Libertadores 1963

Vários desenvolvimentos recentes no futebol europeu poderão estar mostrando que o esporte, enquanto realidade econômica e social, poderá assistir a uma transformação profunda nos próximos tempos. É possível que estejamos vivendo um período que levará a que o futebol, que começou por ser amador e depois virou profissional, se transforme novamente em algo que ainda não é possível dizer com clareza. Confira.

A SuperLiga Europeia

Há vários anos que os maiores clubes europeus estão negociando a criação de uma SuperLiga Europeia, que funcionaria do mesmo jeito que a MLS e a NBA dos Estados Unidos: um campeonato fechado, sem rebaixamentos, e juntando os times mais fortes do continente (vindos das ligas mais fortes, como a Espanha, Inglaterra, Itália, França e Alemanha). A Uefa se opõe, mas a força dos clubes poderá ser mais forte e eles poderão avançar para isso mesmo com a oposição da federação.

Clubes europeus estão negociando a criação de uma SuperLiga Europeia

Apostas esportivas: a loucura

Em vários campeonatos europeus, a receita conseguida com as apostas esportivas (sob várias formas de transferência) é cada vez maior. Em Inglaterra, perto de metade dos clubes dos dois campeonatos mais importantes têm um patrocínio de uma casa de apostas ( o site de apostas online NetBet é um exemplo de plataforma deste tipo). A China é um dos países onde o número de apostadores em futebol está crescendo, mas o Brasil também é visto entre os mercados com maior potencial.

O fenômeno Cristiano Ronaldo

A transferência recente de Cristiano Ronaldo do Real Madrid para a Juventus é outro sinal de uma mudança profunda. Parece que o presidente do clube espanhol estava pensando que a força de CR7 vinha do fato de ser um jogador do Real Madrid. Todavia, os números de vendas de camisolas e o interesse que o campeonato italiano vem ganhando nesta época provam o contrário: o Real Madrid estava ganhando por conta de ter Cristiano Ronaldo jogando em seu time. Os fãs eram fãs de Ronaldo, e não do time.

Cristiano Ronaldo astro da Juventus Turim

Isso pode ser um sinal de uma nova e decisiva tendência de transformação do futebol.

Poderá o futebol estar se transformando em algo mais globalizado?

Herdámos o futebol de nossos antepassados como um sistema baseado na ligação entre o torcedor e seu clube, como se fosse parte dele e o clube uma parte do torcedor. Os jogadores não eram mais que “soldados” lutando pelo clube, e no início era até mal visto que um jogador pudesse trocar para outro time; ou então, se ia trocar, pelo menos que não fosse para aquele time rival.

Hoje, poderemos estar entrando em um tempo em que o futebol internacional vira algo mais globalizado. Em lugar da relação do torcedor com o time, temos a relação do torcedor com seu ídolo, por exemplo. Ou então a simples paixão pelo esporte, com as simpatias flutuando entre este ou aquele time, jogador ou até treinador, e muitas apostas esportivas pelo meio. Quem sabe?