Publicado no Diario de Pernambuco, Terça-feira, 3 de julho de 1945, Edição 00124, Página 7

ESCANDALOSA VITORIA DO NAUTICO SOBRE O FLAMENGO POR 21X3
Reduzida assistência compareceu, ante-ontem, ao estádio dos Aflitos, onde foi disputada uma das ultimas rodadas do torneio eliminatório. Apesar de estar anunciando um encontro de grande interesse os aficionados não se deixaram atrair ao estádio por motivos já conhecidos. E a renda foi bem reduzida. As chuvas também contribuíram muito para este desinteresse.

Depois de uma peleja algo interessante, em que o América colheu magnífico triunfo sobre o Santa Cruz por 4 x 2 tivemos um segundo jogo decepcionante. Numa disputa vergonhosa sem nenhum aspecto de futebol “association” o Náutico abateu ao Flamengo pela escandalosa contagem de 21 x 3 constituindo um dos maiores escores que já se registrou nos gramados pernambucanos.

Assim teremos apenas de comentar, mais uma vez, esta falta de solidariedade que ainda existe entre os dirigentes dos nossos clubes, mesmo quando procura-se defender um ponto de vista de interesse coletivo.

Na semana passada o Náutico achou que não devia ceder a primazia de fazer o jogo principal. Era preferível jogar Náutico e Flamengo na prova principal enquanto Santa Cruz x América o jogo esperado por todos ficaria mesmo na preliminar. Por causa deste tolo capricho, tivemos uma tarde decepcionante do nosso futebol.

Os dirigentes do grêmio alvirubro não quiseram colaborar com tricolores e americanos, mesma sabendo que esta colaboração viria de encontro aos seus próprios interesses. Esqueceram que o mesmo América e o mesmo Santa Cruz, poucas semanas antes, haviam pugnado para que a F.P.D. concedesse ao Náutico para realizar a sua temporada no Ceará, em época contraria aos regulamentos.

Fazemos estas ressalvas para que de futuro não se repitam estes fatos. Não é possível que no seio da Federação Pernambucana de Desportos, com sete clubes de primeira divisão, continue havendo caprichos entre partes. Vamos acabar de vez esta prejudicial política clubista, pois ela continua sendo o inseto que destrói o trabalho bem intencionado dos que almejam melhores dias para os desportos do Estado.



Jornal Nautico 21 x 3 Flamengo

FRACO O ENCONTRO PRINCIPAL
Os quadros do Náutico e Flamengo fizeram a peleja principal da tarde de ante-ontem. Jogaram depois da preliminar. Os 90 minutos regulamentares decorreram num ambiente monotomo e desinteressante, debaixo de uma chuva torrencial e impertinente. Mesmo sem apresentar o seu quadro completo, pois jogou sem Mitotonio, Sabino, Mario Ramos e Célio, o Náutico venceu ao Flamengo por 21 x 3, contagem que foi humoristicamente comentada pelas emissoras cariocas, em suas resenhas esportivas da noite de domingo. Os alvi-negros jogaram para perder e resolveram bater um Record de score. Se houvesse mais tempo o marcador iria a meio cento. Não sabemos o que teria acontecido aos jogadores do Flamengo.

Quando a contagem era de 8 x 0, a assistência incentivou os “patativas” que esboçaram uma certa reação. O juiz marcou um rigoroso penalty contra o Náutico e Dias abriu a contagem. Fez 8 x 1.

Articulou-se o quadro do Flamengo e dava a impressão de que pretendia igualar o marcador. Recuou o quadro do Náutico e durante uns 13 minutos os campeões de 1915 estiveram com a supremacia das jogadas. Numa investida pela esquerda surgiu o segundo tento dos alvi-negros e 8 x 2 no “placard”. Nesta altura o Nautico foi ao ataque e marcou mais um tento. Porém, reagindo energicamente o Flamengo marcou o tento de fora da área por intermédio de Dias. Até o final desta fase o escore permaneceu 9 x 3.

No segundo tempo não é bom falar. A contagem subiu assustadoramente, conseguindo o Náutico marcar nada menos de 12 tentos, em 45 minutos. Verdadeiro Record. Tará fazia “bolinha” com a retaguarda do Flamengo. Nem mesmo Proa salvou-se da goleada.

Os quadros jogaram assim constituídos:

NAUTICO – Zeca – Periquito – Durval – Evaldo – Palito – M Ramos – Plínio – Hilton – Tará – Hermenegildo – Luiz.

FLAMENGO – Sarmento (Alves) – Proa – Adelson – Arlindo – Enedino – Djalma – Cremildo – Francisco – Dias – Airton – Carioca.

Os tentos foram marcados pelos seguintes jogadores: Pelo Náutico – Tará (8), Plínio (3), Luiz (3), Hilton (2), Hermenegildo (2), Genival (2) e Palito (1). Pelo Flamengo, golearam Dias (2) e Francisco.

NOTA: algumas fontes citam que Tará fez 09 gols.


VEJA TAMBEM » Maiores goleadas do futebol pernambucano.

Pesquisas realizadas por Sidney Barbosa da Silva, tendo como fonte o Diario de Pernambuco, Terça-feira, 3 de julho de 1945, Edição 00124, Página 7.
Página adicionada em 03/Agosto/2019.

Livros Digitais Campeões do Futebol