SE Palmeiras Campeão Série A do Brasileiro 2018
Em pé: Weverton, Borja, Gustavo Gómez, Luan e Felipe Melo. Agachados: Lucas Lima, Mayke, Dudu, Bruno Henrique, Willian e Diogo Barbosa.

Quando decidiu pelo retorno de Luiz Felipe Scolari, no fim de julho, a diretoria do Palmeiras tentava salvar o que parecia ser a segunda temporada seguida sem títulos. Na época, os torneios de mata-mata eram tratados como as maiores chances de taça, mas foi o Brasileiro que coroou o trabalho feito por Felipão. Uma campanha de recordes que marca a redenção do técnico mais vencedor da história do Brasil.

Este é o 27º título conquistado por Scolari, levando em conta campeonatos profissionais. Nenhum outro treinador no Brasileiro tem mais do que ele; Vanderlei Luxemburgo é o com número mais próximo do gaúcho: 23.

A campanha do título tem marcas especiais, principalmente, o recorde de invencibilidade. Desde que houve a troca de comando (Roger Machado por Felipão), no dia 25 de julho, o Palmeiras não perdeu mais no Brasileiro e tornou-se o dono da maior sequência sem derrota na história do Brasileiro por pontos corridos (desde 2003): são 23 jogos, com 17 vitórias e seis empates. Este também é o décimo titulo nacional do clube, o maior campeão do Brasil - no fim do artigo todos os recordes batidos pelo clube. Confira a campanha:

Pela ordem: Data - Partida - Local
16/04- Botafogo 1 x 1 Palmeiras, Rio de Janeiro/RJ
22/04- Palmeiras 1 x 0 Internacional, São Paulo/SP
29/04- Palmeiras 0 x 0 Chapecoense, São Paulo/SP
06/05- Atlético-PR 1 x 3 Palmeiras, Curitiba/PR
13/05- Corinthians 1 x 0 Palmeiras, São Paulo/SP
19/05- Palmeiras 3 x 0 Bahia, São Paulo/SP
26/05- Palmeiras 2 x 3 Sport, São Paulo/SP
30/05- Cruzeiro 1 x 0 Palmeiras, Belo Horizonte/MG
02/06- Palmeiras 3 x 1 São Paulo, São Paulo/SP
06/06- Grêmio 0 x 2 Palmeiras, Porto Alegre/RS
10/06- Ceará 2 x 2 Palmeiras, Fortaleza/CE
13/06- Palmeiras 1 x 1 Flamengo, São Paulo/SP
19/07- Santos 1 x 1 Palmeiras, São Paulo/SP
22/07- Palmeiras 3 x 2 Atlético-MG, São Paulo/SP
25/07- Fluminense 1 x 0 Palmeiras, Rio de Janeiro/RJ
29/07- Palmeiras 3 x 0 Paraná, São Paulo/SP
05/08- América-MG 0 x 0 Palmeiras, Belo Horizonte/MG
12/08- Palmeiras 1 x 0 Vasco da Gama, São Paulo/SP
19/08- Vitória 0 x 3 Palmeiras, Salvador/BA
22/08- Palmeiras 2 x 0 Botafogo, São Paulo/SP
26/08- Internacional 0 x 0 Palmeiras, Porto Alegre/RS
02/09- Chapecoense 1 x 2 Palmeiras, Chapecó/SC
05/09- Palmeiras 2 x 0 Atlético-PR, São Paulo/SP
09/09- Palmeiras 1 x 0 Corinthians, São Paulo/SP
16/09- Bahia 1 x 1 Palmeiras, Salvador/BA
23/09- Sport 0 x 1 Palmeiras, Recife/PE
30/09- Palmeiras 3 x 1 Cruzeiro, São Paulo/SP
06/10- São Paulo 0 x 2 Palmeiras, São Paulo/SP
14/10- Palmeiras 2 x 0 Grêmio, São Paulo/SP
21/10- Palmeiras 2 x 1 Ceará, São Paulo/SP
27/10- Flamengo 1 x 1 Palmeiras, Rio de Janeiro/RJ
03/11- Palmeiras 3 x 2 Santos, São Paulo/SP
11/11- Atlético-MG 1 x 1 Palmeiras, Belo Horizonte/MG
14/11- Palmeiras 3 x 0 Fluminense, São Paulo/SP
18/11- Paraná 1 x 1 Palmeiras, Londrina/PR
21/11- Palmeiras 4 x 0 América-MG, São Paulo/SP

O JOGO DO TÍTULO: VASCO 0 x 1 PALMEIRAS
A campanha do Palmeiras faz dele um campeão incontestável. A equipe alviverde chegará à última rodada com o título já garantido e várias marcas a serem batidas: tem o melhor ataque da competição (61 gols), a melhor defesa (24 gols sofridos), mais vitórias (22), menos derrotas (quatro) e o recorde histórico de invencibilidade na era dos pontos corridos (22 jogos seguidos sem perder, sendo 21 deles sob o comando de Felipão).

25/11- Vasco da Gama 0 x 1 Palmeiras, Rio de Janeiro/RJ
Local: Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ) / Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Rafael Traci (PR); Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Rafael Trombeta (PR)
Gol: Deyverson, aos 26 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Desábato, Leandro Castán, Andrey e Andrés Ríos (Vasco); Felipe Melo, Bruno Henrique, Gustavo Gómez, Deyverson e Jean (Palmeiras)
Cartão vermelho: Yago Pikachu (Vasco)

Vasco: Fernando Miguel; Luiz Gustavo, Werley, Leandro Castán e Henrique (Willian Maranhão); Desábato (Raul), Andrey e Thiago Galhardo; Yago Pikachu, Kelvin (Marrony) e Maxi López. Técnico: Alberto Valentim.

Palmeiras: Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Gustavo Scarpa); Willian (Jean), Dudu e Borja (Deyverson). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

O JÁ CAMPEÃO PALMEIRAS BATE VITÓRIA E FESTEJA O DECA COM RECORDE DE PÚBLICO NO ALLIANZ
O jogo teve muita festa da torcida, que quebrou o recorde de público do estádio alviverde para a partida da entrega da taça, com 41.256 presentes, e comemorou o título durante praticamente a partida toda, com faixas, rojões e gritos.

Convidado pela diretoria do Palmeiras, o presidente eleito Jair Bolsonaro assistiu à partida em um camarote do Allianz Parque ao lado de nomes como o mandatário palmeirense Maurício Galiotte, a conselheira e patrocinadora Leila Pereira, o presidente eleito da CBF Rogério Caboclo e o ex-goleiro Marcos, entre outros. Alguns torcedores que estavam mais próximos do camarote puxaram um grito de "É, Bolsonaro" no intervalo, mas a maioria do estádio não se manifestou.

Jair Bolsonaro na cerimônia de entrega da taça e medalhas
Presidente eleito do Brasil - Jair Bolsonaro - na cerimônia de entrega da taça e medalhas. Fonte: CBF

02/12- Palmeiras3 x 2 Vitória, São Paulo/SP
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP) à 17h (de Brasília)
Público: 41.256 - Renda: R$ 3.514.618,30
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC); Assistentes: Henrique Neu Ribeiro e Eder Alexandre (SC)
Gols: Edu Dracena, aos 42 minutos do primeiro tempo; Gustavo Scarpa, aos 11, Yago, aos 25, Luan, aos 27, e Bruno Henrique, aos 44 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Deyverson e Felipe Melo (Palmeiras); Lucas Ribeiro e Luan (Vitória)

Palmeiras: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luís; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Guerra); Gustavo Scarpa (Moisés), Dudu e Borja (Deyverson). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Vitória: João Gabriel; Cedric, Lucas Ribeiro, Bruno e Fabiano; Willian Farias (Nickson), Yago e Léo Gomes; Lucas Fernandes (Erick), Luan e Léo Ceará (Eron). Técnico: João Burse.

OS RECORDES BATIDOS
• Maior invencibilidade da história dos pontos corridos
Com 23 jogos sem perder, o Palmeiras bateu o recorde de invencibilidade do Brasileirão de pontos corridos (desde 2003), superando a sequência invicta de 19 partidas do Corinthians de 2017. A última derrota foi em 25 de julho, para o Fluminense, no jogo que causou a demissão do técnico Roger Machado. Desde então, o time não perdeu mais, em uma partida comandada pelo interino Wesley Carvalho e outras 22 pela comissão técnica de Felipão.

• Segunda maior invencibilidade do clube no Brasileirão
Os 23 jogos de invencibilidade do Palmeiras de 2018 também igualaram a marca do esquadrão bicampeão de 1993/94, que ficou o mesmo período invicto entre os dois anos. O desafio agora é superar a maior série invicta da história do clube no Brasileirão, conquistada por outra equipe bicampeã nacional: a Segunda Academia, que passou 26 jogos seguidos sem perder entre 1972 e 1973.

• Melhor turno da história dos pontos corridos com 20 times
Outra marca corintiana que foi derrubada: com o triunfo sobre o Vitória na última rodada, o Palmeiras fez o melhor turno da história dos pontos corridos desde que o Brasileirão passou a ter 20 clubes, com 47 pontos, 14 vitórias e saldo positivo de 24 gols. A campanha é ligeiramente superior à do primeiro turno do Corinthians de 2017, por um gol a mais de saldo.

• Menos derrotas na história dos pontos corridos
O Palmeiras perdeu apenas quatro vezes no Campeonato Brasileiro, todas elas antes da chegada de Felipão. Com isso, igualou o recorde do São Paulo de 2006, que também só foi derrotado em quatro jogos naquela campanha.

• Felipão se isola como técnico brasileiro mais vencedor
O triunfo no Brasileirão ainda serviu para Felipão se isolar ainda mais como o técnico brasileiro mais vencedor da história. Agora o gaúcho soma 27 títulos na carreira. O segundo colocado da lista é Vanderlei Luxemburgo, com 23 troféus no currículo - o último deles, o Campeonato Pernambucano de 2017 pelo Sport.

• Maior público da história do Allianz Parque
O jogo contra o Vitória também serviu para quebrar o recorde de público do Allianz Parque, com 41.256 pagantes no estádio. O recorde anterior era de 41.227 pagantes, na final do Campeonato Paulista de 2018, vencida nos pênaltis pelo Corinthians.


Sidney barbosa da SilvaPesquisas de Sidney Barbosa da Silva
Página adicionada em 25/Novembro/2018 - atualizada em 30/Dezembro/2018.
Fontes: www.cbf.com.br; esporte.uol.com.br/futebol; e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br

 

Livros Digitais Campeões do Futebol