O River Plate foi fundado em 25 de maio de 1901 após a fusão do La Rosales e Santa Rosa, duas equipes do bairro de La Boca, adotando seu nome pela tradução do nome em inglês dado ao Rio de la Plata.

O primeiro Conselho de Administração, eleito no mesmo dia de fundação, foi composto por Leopoldo Bard (Presidente), Alberto Flores (Vice-Presidente), Bernardo Messina (Secretário), Enrique Balza (Secretário Adjunto), Enrique Salvarezza (Tesoureiro), Juan Bonino (Procurador), José Pita, Enrique Zanni, Pedro martínez, Eduardo Rolón, Carlos Antelo e Livio Ratto (Vogais).

O primeiro campo que o clube possuiu ficava do lado leste da Dársena Sur, atrás das Carvoarias Wilson. Lá, o River começou sua campanha amadora, jogando partidas com clubes do bairro ou áreas próximas, até ser despejado de seu prédio em 1906 por ordem do Ministério da Agricultura. Logo em seguida o clube se instala em Sarandí, do outro lado do Riachuelo por um breve período de tempo, para voltar ao bairro de La Boca novamente (em 1907), desta vez no lado oeste da Dársena Sur.

Sua primeira temporada na principal divisão terminaria com um honroso segundo lugar, derrotando o multi-campeão Alumni Athletic Club e recebendo reconhecimento público por ser a equipe que mais cresceu nos últimos tempos. O clube passou de 40 sócios, antes de ser promovido a 1ª divisão, para 1000 na sua primeira participação na elite do futebol argentino, chegando a ultrapassar os 4000 sócios em 1912.

Em 1913 tem, pela primeira vez, o confronto com o Boca Juniors, o qual vence por 2 a 1 (gols de Cándido garcía e Penney), disputado no campo do Racing, de acordo com notícia do periódico La Mañana.
primeira vez de Boca Juniors vrsus River Plate
Periódico La Mañana, de 27 de agosto de 1913, pág. 13.

Em 1914 o River conquistaria os seus primeiros títulos na categoria máxima, a Copa Competência Jockey Club (disputado entre equipes da Argentina e Uruguai) e a Cup Tie Competition. Em 1920 o seu primeiro Campeonato da Primeira Divisão com 56 pontos superando o Racing Club com 54, uma equipe que foi sensação naqueles tempos, e havia vencido 7 campeonatos consecutivos. Sendo o conjunto "millonario" que quebraria a hegemonia dominante de "La Academia" na era amadora do futebol argentino.

Estádio do River Plate na avenida Alvear y Tagle1923
José Bacigaluppi, presidente do River, propõe ao Conselho de Administração que o clube se mude para Alvear y Tagle. Em 20 de maio de 1923 o River inaugura o novo estádio, ante uma multidão, em um encontro frente ao Peñarol de Montevidéo, foto ao lado, um estádio importante para a época, que tinha muitas instalações esportivas nas suas adjacentes para os associados. Nesta época o clube conta com 5.070 sócios.

Em 1937, como planejado, o clube foi desalojado deste local, por não ser de sua propriedade, e por não renovar o aluguel. Mas o River já havia posto em prática algo muito maior, a construção do Estádio Monumental, que teve a pedra fundamental colocada em 25 de maio de 1935, e inicio das obras em 27 de setembro de 1936, e que foi oficialmente inaugurado numa partida contra o Peñarol do Uruguai, onde o River venceu por 3 a 1, em 26 de maio de 1938.

Lá Máquina
La Máquina é o nome de uma formação do River Plate que ganhou 10 títulos oficiais durante a década de 1940, comumente considerado pela imprensa especializada como o melhor time do mundo, e um dos mais notórios da história do Futebol Mundial, e o melhor do futebol argentino de todos os tempos. Recorde-se em particular nesta equipe para a linha de frente, composta por Juan Carlos Muñoz, José Manuel Moreno, Adolfo Pedernera, Angel Labruna e Felix Loustau, embora também fossem detentores regulares em diferentes anos Aristóbulo Deambrossi, Carlos Peucelle, Alberto Gallo e Renato Cesarini, além de produzir nesse time a estréia de alguns jovens como Alfredo Di Stéfano e Amadeo Carrizo. Devido ao seu estilo de jogo, "La Máquina" é frequentemente catalogada como pioneira na prática do chamado Futebol Total, e o antecessor sul-americano das seleções húngaras dos anos 50, e da Holanda, a "Laranja Mecânica" dos anos 70.

River conquista a América e o mundo pela primeira vez
Entre 9 de julho e 20 de agosto de 1986, o River disputa a primeira fase da Taça Libertadores obtendo um saldo de cinco vitórias e apenas um empate, sendo seus rivais Boca Juniors, Peñarol e Montevideo Wanderers. Em setembro, enfrenta o Argentinos Juniors (campeão da Libertadores em 1985) e Barcelona de Guayaquil. O último rival foi a América de Cali, vice-campeã da edição anterior da Taça. Em 22 de outubro o River ganha o primeiro jogo da final por 2 a 1, gols de Juan Gilberto Funes e Alonso, sendo o primeiro time estrangeiro a sair vitorioso do Estádio Pascual Guerrero em sete anos. Uma semana depois, um gol de Funes deu ao River uma vitória por 1 x 0 em El Monumental e pela primeira vez a equipe conquista a Taça Libertadores dea América.

Em 14 de dezembro do mesmo ano, no Estádio Olímpico de Tóquio (Japão), derrotou o Steaua Bucareste, da Romênia, por 1 a 0, vencendo a Copa Intercontinental. O zagueiro uruguaio Antonio Alzamendi marcou o único gol do jogo. O River seria campeão mundial pela primeira vez em sua história.

O Rebaixamento
A maior crise da história do River Plate teve um trágico capítulo na tarde de 18 de junho de 2011. Em jogo válido pela última rodada do Torneio Clausura 2011, mesmo jogando em casa, a equipe foi derrotada por 2 a 1 pelo Lanús. Com a combinação de resultados, o River Plate ficou em 17° lugar no Promedio e disputou a Promoción (uma espécie de repescagem) contra o Belgrano, 4° colocado da Primera B, em partidas de ida e volta. A primeira foi em Córdoba, na noite de 22 de junho de 2011, com o Belgrano vencendo a partida por 2 a 0, com direito a invasão da torcida platense no gramado. O segundo foi em Buenos Aires, para definir em qual divisão do futebol argentino cada equipe jogaria na próxima temporada.

Na tarde gelada de 26 de junho de 2011, os termômetros de Buenos Aires marcavam 6 °C, um prenúncio do golpe fatal: Em 110 anos de história, o River Plate foi rebaixado pela primeira vez ao empatar por 1 a 1 com os piratas do Belgrano, em um Monumental de Nuñez praticamente lotado. A partida foi encerrada aos 44 minutos do segundo tempo (sem o apito final do árbitro Sergio Pezzota), devido à tentativa de invasão de campo por parte da torcida millionaria. Com o rebaixamento do time, a cidade de Buenos Aires viveu momentos de terror, com torcedores do River Plate depredando as dependências do Estádio Monumental de Nuñez e carros e lojas nas ruas próximas.

O Retorno ás origens
Após quase um ano, o River Plate sagrou-se campeão da Primera B Nacional e voltou à principal divisão do futebol argentino.

Em 2014, o calvário teve definitivamente seu fim, com o título argentino conquistado de forma emocionante após diversas mudanças na liderança durante a competição. Depois de jogos difíceis e apertados, o River conseguiu o primeiro lugar do torneio apenas na penúltima rodada. No jogo final, no dia 18 de maio de 2014, uma vitória histórica por 5 a 0 sobre o Quilmes confirmou o ressurgimento do maior campeão argentino.

Diante de um Monumental abarrotado, enfim "Los Millonarios" ressurgiram do rebaixamento de 2011 com seu quadragésimo terceiro título nacional e o trigésimo quinto título do Campeonato Argentino.

Também em 2014, após um "jejum" de 17 anos de conquistas internacionais, sob a direção de um ex-craque do clube, Marcelo Gallardo, o River Plate conquistou de forma invicta o inédito título da Copa Sul-Americana, eliminando o Boca na semifinal.

Em 2015 conquistou pela terceira vez a Copa Libertadores da América após golear o Tigres (MEX) por 3 a 0 em pleno Estádio Monumental de Núñez. O título coroou o renascimento da equipe que, em 2018, fez mais uma final da Libertadores, desta vez em Madrid na Espanha contra seu maior rival, o Boca Juniors, vencendo por 3 a 1.


Pesquisas realizadas por Sidney Barbosa da SilvaSidney Barbosa da Silva.
Fontes: www.cariverplate.com.ar; pt.wikipedia.org/wiki e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br.
Página adicionada em 19/Novembro/2018 - atualizada em 09/Dezembro/2018.

 

Shopping Campeões do Futebol