Antes da criação do Santo André, a cidade não tinha tradição em futebol profissional. Quando o Corinthians Futebol Clube parou em 1961, havia um grande sentimento de se ter uma equipe que realmente representasse a cidade. Então, em 1967, nascia o Santo André Futebol Clube, depois Santo André Esporte Clube. A equipe tinha as cores da cidade de Santo André e utilizava um detalhe do brasão em seu escudo.

O Esporte Clube Santo André foi fundado em 18 de setembro de 1967, na época como Santo André Futebol CLube. Na data da fundação, a expectativa era de criar um clube que se rivalizasse com os principais expoentes do futebol interiorano como Campinas, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e tantas outras cidades brilhavam com seus representantes.

A idéia surgiu na Liga de Futebol Amador da Cidade, do presidente da entidade, Wigand Rodrigues dos Santos. Ganhou corpo entre os esportistas, evoluiu, e foi sacramentada com a fundação do clube numa noite chuvosa. Faltou energia elétrica durante a assembléia, realizada no Tiro de guerra, na Praça 18 do Forte. Não seria essa primeira contrariedade do destino que tiraria o que o Santo André tem de mais abundante: tenacidade, persistência, paixão. Sob luzes de velas, fundou-se o clube.

O Santo André saiu do quase nada, da idéia abstrata de representar o futebol profissional do Município, para uma posição de destaque na hierarquia esportiva e institucional. O lançamento oficial como clube profissional, candidato à disputa do Campeonato da Federação Paulista de Futebol, ocorreu em 20 de Janeiro de 1968, no Paço Municipal de Santo André, com muita festa.

Em 22 de março de 1975, o Santo André Futebol Clube passou a chamar-se Esporte Clube Santo André, nome que é utilizado até os dias de hoje. Foram trocadas também as cores do uniforme. O verde e amarelo dava lugar ao azul e branco.

Momentos marcantes

O primeiro grande momento da vida do Santo André aconteceu em 1975 quando conquistou o título do Campeonato Paulista da Segunda Divisão (sem acesso). O feito se repetiu em 1981 quando conquistou o titulo e pela primeira vez subiu para a elite do futebol paulista.

Uniformes
Uniforme 1
Uniforme 1: Camisa branca, calção azul e meias brancas
Uniforme 2
Uniforme 2: Camisa azul, calção branco e meias azuis

Fonte: ecsantoandre.com.br
Data: 17/11/2008


Escudo
Distintivo do Santo André

Mascote
Mascote Ramalhão
O E.C. Santo André tem como mascote o Ramalhão, em homenagem a João Ramalho, fundador da cidade de Santo André em 8 de abril de 1553. O Ramalhão é o único mascote "histórico" do Estado de São Paulo, já que a maioria dos clubes prefere usar animais como Tigre, Leão, Pantera, Águia e os inúmeros "Galos" existentes no interior paulista, entre outros.
 
Já em 1984, o clube se destacou também no cenário nacional. Neste ano, o Ramalhão conseguiu o direito de disputar pela primeira vez a primeira divisão do Campeonato Brasileiro e fez bonito, terminando na honrosa 10ª colocação.

A partir de 2003, o clube vive momentos dourados. Logo em janeiro conquistou o título da Copa São Paulo de Juniores, depois ficou na segunda posição do Campeonato Brasileiro da Série C o que lhe rendeu vaga para a Série B de 2004. No final da temporada, o Santo André conquistou o título da Copa Estado de São Paulo e garantiu presença na Copa do Brasil.

Pela primeira vez disputando a Copa do Brasil, segundo título mais importante do país, o clube do ABC surpreendeu a todos e com uma grande campanha conquistou o título, batendo o Flamengo na final, por 2 a 0, em pleno estádio do Maracanã lotado de torcedores.

Com o título, o Ramalhão garantiu a inédita vaga para a disputa da Copa Libertadores da América. Mesmo sendo eliminado na primeira fase, o clube honrou o Brasil no continente e, inclusive, aplicou uma goleada por 6 a 0 sobre o Deportivo Táchira, da Venezuela.

Após temporadas apagadas em 2006 e 2007, o clube voltou com tudo na temporada 2008. No primeiro semestre passou como um furacão pela Série A-2 do Paulista e conquistou o título com certa facilidade. Nessa competição, o Ramalhão chegou a ficar 12 jogos invictos (da primeira até a 12ª rodada).

Em novembro de 2008, o Santo André, conquista a vaga por antecipação para disputar a principal divisão do futebol brasileiro de 2009 - o Corinthians foi o campeão. Uma conquista histórica para o futebol da cidade. Além disso, outra marca engrandece os torcedores andreenses na histórica campanha: o Santo André foi o único clube que não perdeu para o Timão. Foram dois empates: 1 a 1 no Bruno Daniel e 2 a 2 no Pacaembu. Um detalhe importante, nos dois jogos, o Santo André saiu na frente e o Corinthians só empatou nos instantes finais.

Curiosidades / Recordes

Participações no Brasileiro Série A: 2 (1984 e 2009)

Participações no Brasileiro Série B: 9 (1986, 1987, 1989, 2004, 2008 e 2010).

Participações no Brasileiro Série C: 10 (1988, 1994, 1995, 1998, 2000, 2003, 2011 e 2012).

Participações no Brasileiro Série D: 1 (2013).

Participações no Campeonato Paulista Série A: 24 (1982 a 1994, 2002 a 2007, 2009 a 2011, 2017 e 2018).

Maior goleada em disputa da Série B do Brasileiro: foi negativa, perdeu em 04 de novembro de 2006 por 6 a 1 para o Brasiliense (DF).

Maior goleada em disputa da Série C do Brasileiro: foi positiva, venceu em 29 de setembro de 2001 por 5 a 0 a equipe do Atlético Sorocaba (SP).

Artilharia - O maior artilheiro da história do EC Santo André é o atacante Tulica com 63 gols marcados, em segundo lugar está Sandro Gaúcho com 58 gols, e em terceiro lugar está o meio-campista Arnaldinho com 52 gols marcados.

Estádio Muncipal Bruno José Daniel
Uniforme 1

O Clube utiliza o estádio para seus jogos, porém, o mesmo pertence à prefeitura de Santo André. Foi inaugurado em 14 de dezembro de 1969, no jogo Santo André 0 x 4 Palmeiras (equipe mista). Tem capacidade para 8.000 pessoas e o seu nome é uma homenagem ao pai do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel, assassinado em janeiro de 2002.

O recorde de público do estádio é de 21 mil pessoas, no empate sem gols entre Santo André e Corinthians. A partida, realizada em setembro de 1983, marcou a despedida do ex-lateral corintiano Zé Maria do futebol.


Pesquisas realizadas por Sidney Barbosa da Silva.
Fontes: www.ecsantoandre.com.br; pt.wikipedia.org/wiki; e Arquivo www.campeoesdofutebol.com.br.
Página adicionada em 17/Novembro/2008 - atualizada em 17/Setembro/2018.